Sindicatos e Comissão da Educação publicam nota a favor do adiamento das aulas presenciais

03/abr 14:40
Por Luana Motta

O Sepe (Sindicato dos Profissionais da Educação), o Sinpro (Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região), a Comissão de Educação da Câmara Municipal emitiram uma nota conjunta a favor do adiamento das aulas presenciais no município. O movimento “Em defesa da vida”, pelo adiamento das atividades escolares presenciais, teve início no ano passado, e pede que as aulas presenciais sejam retomadas apenas quando tiver garantias de segurança da saúde de estudantes, profissionais da educação e suas famílias.

Na última quinta-feira, a Prefeitura publicou um novo decreto revogando o anterior que previa a retomada das aulas presenciais, no modelo híbrido, a partir desta segunda-feira, dia 05 de abril. Com a mudança, as aulas foram adiadas para o dia 03 de maio. Mas isso também vai depender da regressão do atual quadro epidemiológico do município até lá.

No novo decreto o município também publicou a regulamentação que cria a Comissão que vai vistoriar as escolas públicas e particulares para a concessão do selo Escola Segura. Que deve comprovar que a instituição de ensino possui todas as garantias mínimas de segurança sanitária para receber alunos e profissionais.

Os Sindicatos e a Comissão da Educação vem desde o início do ano brigando pelo adiamento das aulas presenciais. A primeira data foi definida em comum acordo com o Grupo de Trabalho formado no ano passado, que definiu o plano de retomada das aulas, que vai nortear o trabalho da Secretaria de Educação. Esse novo adiamento, também foi muito debatido entre as entidades que vinham há semanas alertando a Secretaria de Educação sobre os riscos de voltar as atividades presenciais neste momento.

Confira o texto da nota:

“Vivemos o pior momento da pandemia no país, com uma média de quase quatro mil óbitos diários. No Município de Petrópolis, o cenário não é diferente. A crescente no número de casos compromete o funcionamento do sistema de saúde, colocando em risco toda a nossa população, sobretudo os mais vulneráveis – registrando que em março morreram, em média, mais de 4 pessoas por covid por dia em nosso município.

Por isso, o SEPE e o SINPRO Petrópolis, entidades representativas dos profissionais da educação, das redes pública e privada, em conjunto com a Comissão de Educação da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Yuri Moura, atuaram para adiar o retorno presencial das aulas, inicialmente previsto para o início do mês de abril. Diante das recomendações sanitárias oficiais, considerando o aumento exponencial dos números de contaminação e óbitos, não é, definitivamente, a hora de retomar as atividades escolares presenciais, medida que colocaria em risco a vida de milhares de profissionais e seus familiares.

Leia também: Petrópolis entra na bandeira roxa para indicativos de óbitos e internações em UTI por covid-19

Felizmente, prevaleceram o bom senso, as orientações oficiais da saúde e a defesa da vida. No dia 31 de março, foi publicado o Decreto n° 057, que adia a indicação de retorno das aulas presenciais para o dia 03 de maio de 2021, se atendidas e observadas as condições sanitárias adequadas.

Não obstante, frisamos a luta pelo avanço da vacinação em massa, instrumento eficaz e absolutamente fundamental para proteção da vida e dignidade de todas as pessoas.

Seguiremos acompanhando e trabalhando incansavelmente, tendo por horizonte a defesa da vida e dos direitos dos profissionais da educação, sabendo das complexidades e dificuldades que o momento nos impõe, mas também da necessidade de valorizarmos a ciência e as medidas efetivas de combate à pandemia, como a vacinação em massa, que se faz urgente”.

Últimas