Aos 45 do segundo tempo: governo provisório enfim resolve adiar aulas presenciais

01/abr 20:35
Por Redação/ Tribuna de Petrópolis

Às vésperas do que seria o retorno presencial na rede municipal de ensino, a Prefeitura enfim anunciou o adiamento da modalidade híbrida para o dia 3 de maio. O município constatou nesta quinta-feira (1º/4) que o alto índice de contaminações, internações e mortes pelo novo Coronavírus são motivos suficiente para que 41 mil alunos, professores e profissionais não retornem às salas de aula.

Um decreto, que ainda não foi publicado e nem tem data prevista, irá oficializar a decisão. Segundo a Prefeitura, o cronograma de aulas remotas, através da plataforma Educa em Casa, será mantido.

Todo mundo já havia alertado: faltava apenas a decisão da Prefeitura

O Sindicato dos Professores de Petrópolis e Região (Sinpro), o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) e a Comissão da Educação da Câmara Municipal – que fazem parte do Grupo de Trabalho que definiu a data de retorno – vem há semanas se posicionando contra a retomada das aulas presenciais em abril. Ainda com o estouro de casos e o alto índice de internações, a medida só foi anunciada às vésperas da data prevista.

Regra suspende medidas definidas em janeiro

Segundo a Prefeitura, a nova regra suspende, em parte, algumas medidas definidas no final de janeiro, que previam essa retomada para a próxima segunda-feira (5). No novo documento, a retomada fica adiada, observadas as orientações sanitárias da Secretaria de Saúde. O decreto prevê a retomada gradual das aulas presenciais das redes de ensino, da Educação Básica, pública e privada, observado o monitoramento do quadro epidemiológico.

Segundo a Secretária de Educação, Márcia Palma, o novo decreto vem reforçar a preocupação com a saúde dos alunos, professores, funcionários e seus familiares. “O plano de retomada está pronto, mas com as alterações temporais que foram necessárias diante da situação atual”, explicou.

Últimas