Jovem de classe média de Itaipava é apontado pela polícia como o chefe da quadrilha que roubava joalherias em Petrópolis

28/jul 10:23
Por Janaina do Carmo

Um jovem de classe média, morador do distrito de Itaipava, é apontado pela Polícia Civil (PC) como o chefe da quadrilha que roubou cinco joalherias em Petrópolis este ano, ocasionando um prejuízo de R$ 3 milhões. O homem, de 24 anos, foi preso durante uma operação policial na noite de terça-feira (27), na região de Secretário, em Pedro do Rio. A ação foi em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Criminal de Petrópolis.

De acordo com o delegado titular da 105ª Delegacia de Polícia (DP), João Valentim, o rapaz era o responsável por escolher os locais que seriam assaltados. O criminoso também era o “batedor” para que os outros integrantes do grupo pudessem fugir em segurança para a Comunidade do Parque União, na cidade do Rio de Janeiro.

“Ele orquestrou todos os roubos, levantando os locais pessoalmente”, disse o delegado, acrescentando ainda que as joias roubadas eram vendidas na Comunidade do Parque União. De acordo com o delegado, o jovem ainda não tinha passagem pela polícia. “Ele idealizou todos os assaltos as joalherias ocorridos em Petrópolis em 2021”, frisou.

Ao todo foram cinco roubos entre janeiro e maio deste ano. Os crimes ocorreram em Itaipava e no Centro da Cidade. O último aconteceu no dia 25 de maio, na Relojoaria Ângelo, na Rua Dr. Porciúncula. Na fuga os criminosos trocaram tiros com policiais militares pelas ruas do Centro.

Uma bala perdida atingiu de raspão uma menina, de 16 anos, que estava dentro do Terminal Rodoviário do Centro. Os tiros também acertaram o para-brisa de um ônibus, que também estava dentro do terminal, e uma banca de jornal na Praça da Inconfidência. O roubo deixou um prejuízo de meio milhão de Reais.

Quase dois meses após o assalto, no dia sete de julho, a Polícia Militar (PM) prendeu três integrantes do grupo durante uma operação no São Sebastião. Houve troca de tiros e os criminosos foram baleados. Eles foram socorridos e levados para o Hospital Santa Teresa (HST).

De acordo com o delegado João Valentin, um integrante da quadrilha permanece foragido. Ele é morador da Comunidade Parque União e é apontado como o responsável por dirigir os veículos utilizados nos roubos e por repassar as joias aos traficantes das comunidades Nova Holanda e Parque União.

“As investigações prosseguem visando identificar outros roubos praticados pelos criminosos e a rede de receptadores das jóias”, disse o delegado João Valentim.

Últimas