Rio de Janeiro tem 1,8 milhão de condutores com problemas visuais: especialistas orientam sobre importância de cuidados com a visão

20/jun 09:44

Um estudo inédito do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, divulgado este ano, mostrou que o Rio de Janeiro tem 1,8 milhão de motoristas com restrições visuais. No Brasil, cerca de um terço da população habilitada precisa de soluções para os problemas relacionados à visão, o que representa o total de 20,7 milhões de condutores.
Os dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), referentes ao período entre 2014 e 2020, que serviram de base para o levantamento, apontam que de um total de 5.807.710 motoristas habilitados no Estado do Rio, 31% apresentou restrição.
Segundo a Oftalmologista Ana Luísa Aleixo, responsável pela Oftalmo Clínica de Petrópolis, enxergar bem é um pré-requisito para segurança no trânsito. O motorista que não vê uma placa na distância apropriada, um pedestre no campo de visão periférico ou outro veículo, pode colocar em risco a vida do condutor e ocupantes do automóvel, além de terceiros.

Leia também: Especialista fala sobre características que fazem um negócio se manter durante tempos difíceis
“É muito importante fazer o acompanhamento com um oftalmologista. Muitos pacientes se queixam de baixa de visão para longe e ofuscamento à noite o que impacta diretamente na habilidade para dirigir. Outros problemas comuns são a miopia, que é enxergar mal para longe e a catarata, que pode atrapalhar bastante, podendo gerar visão dupla e ofuscamento”, diz a Drª Ana Luísa.
Segundo o CBO, houve aumento de 44% no número de exigências para óculos ou lentes de contato, entre os anos de 2014 e 2020. De acordo com a oftalmologista, uma das causas que pode ter causado o aumento expressivo, se deve ao uso excessivo de dispositivos eletrônicos. “Existe uma tendência de a população ser mais míope por conta do excesso de uso de telas. Isso é uma justificativa plausível para esse aumento de prescrições de óculos. O problema pode ser corrigido com óculos ou lentes de contato para enxergar de longe, além da cirurgia refrativa a laser, que surge como outra opção para ter independência dos óculos.”, explica a Drª Ana Luísa.
A oftalmologista destaca a importância dos cuidados com a saúde visual e o acompanhamento médico, para garantir que os olhos estejam protegidos de problemas futuros, além de poder corrigir quaisquer deficiências que possam surgir na visão. “Nunca dirija caso não esteja se sentindo seguro e em caso de sintomas visuais procure imediatamente seu oftalmologista. Essa atitude responsável pode salvar vidas.”, finaliza a Drª.

Últimas