Prefeitura vai nomear interventor para leitos de covid-19 do Hospital Clínico de Corrêas

20/abr 17:24
Por Luana Motta

A Prefeitura vai nomear um interventor para administrar os leitos de UTI Covid-19 que foram requisitados ao Hospital Clínico de Corrêas. Desde o dia 02 de abril, quando assumiu a administração dos leitos destinados a pacientes com covid-19 no hospital, a Prefeitura tem relatado aos Ministérios Público Federal e Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro uma série de problemas que tem encontrado, como a falta de insumos, equipamentos, equipe médica e até problemas no espaço físico da unidade.

No dia 22 de janeiro, a Prefeitura anunciou a pactuação de onze leitos de UTI Covid-19 no HCC. A expectativa era de que até o fim de fevereiro fossem abertos mais 9 leitos de UTI Covid-19 e dez leitos clínicos não covid, o que não aconteceu. Já no começo desse mês, quando a Prefeitura interveio na administração dos leitos, foi reforçada a promessa de mais leitos, no entanto, só foi possível a reabertura de quatro novas vagas, além daquelas que estavam bloqueadas desde o começo do ano.

Na reunião que aconteceu entre representantes da Prefeitura e os Ministérios Públicos, Filipe Furtuna, diretor do Serviço Social Autônomo do Hospital Alcides Carneiro (Sehac), disse que estava prestando apoio operacional à Secretaria Municipal de Saúde para a gestão dos leitos de UTI requisitados do HCC.

Segundo Filipe, “o local estava sem condições de funcionamento” e precisou ser feita uma realocação de leitos, além de completar a equipe de enfermagem. “Foi dito que há enorme dificuldade gerencial, não havendo sistema de farmácia, o NIR não funciona regularmente, não há manutenção do Hospital”, diz um trecho da ata da reunião, que foi realizada no dia 9 de abril, uma semana após a Prefeitura assumir o espaço.

Na semana passada, o tema voltou a entrar em pauta na reunião com os Ministérios Públicos. Uma representante do Sehac informou ao MP que a dificuldade para a abertura de leitos na unidade se dá por falta de equipamentos e equipes médicas disponíveis. E que há problemas principalmente nas questões administrativas, e também no espaço físico do hospital. Na tentativa de solução, o procurador-geral do Município, Fábio Alves, disse que será feita a nomeação de um interventor do município.

Hospital Clínico de Corrêas é objeto de investigação pelo Ministério Público

Dois dos sócios do HCC estão sendo investigados pelo Ministério Público por fraudes e superfaturamentos, que geraram o endividamento do hospital. No final do ano passado, um dos sócios Marcos Paulo Vianna Cordeiro levou as suspeitas a Polícia Civil da 106ª DP. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nos endereços dos sócios e no hospital. De acordo com as investigações, há indícios de fraude no HCC, Hospital Nossa Senhora Aparecida (HNSA) e Hospital Santa Mônica, sendo que este último também teve leitos clínicos requisitados pelo município em março.

Últimas