Com 98% dos leitos de UTI covid-19 ocupados, município assume administração de leitos do HCC

03/abr 06:30
Por Redação/ Tribuna de Petrópolis

A Prefeitura publicou na noite desta sexta-feira (2), em uma edição extraordinária do Diário Oficial, o decreto nº 59/2021 que requisita todos os leitos destinados a pacientes com covid-19 do Hospital Clínico de Corrêas. Com isso, a unidade passa a funcionar como unidade de apoio do município no combate ao coronavírus. Com a requisição, o município passa a gerenciar os leitos, incluindo o espaço físico, a infraestrutura e os recursos humanos já contratados direta ou indiretamente pelo hospital.

Nesta sexta-feira, segundo dados do Painel Covid-19 da Secretaria de Saúde, há apenas 2 leitos de UTI do SUS vagos no município. Dos 119 leitos de UTI do SUS – próprios e pactuados – 105 estão ocupados, e outros 12 leitos estão indisponíveis. Isso representa, 98,13% de ocupação total dos leitos de UTI do SUS em Petrópolis.

Leia também: 369 pacientes estão internados com a Covid-19 na cidade: taxa de ocupação de leitos de UTI está em 98%

O Hospital Clínico de Corrêas, possui, desde o ano passado, 11 leitos de UTI pactuados com o município. Com a requisição da Prefeitura, mais 9 leitos foram disponibilizados. Totalizando 20 leitos, parte já foi disponibilizada nesta sexta-feira, e outra metade estará disponível até a próxima semana. Os leitos já pactuados estão regulados pelo Governo do Estado, segundo a Prefeitura, os outros nove também serão regulados e começarão a operar com a chegada dos novos materiais e reorganização de equipes.

De acordo com o secretário de saúde, Aloísio Barbosa, há, ainda, área física suficiente para acomodar mais 20 pacientes. Não há, no entanto, equipamentos nem equipes para ativar estes leitos neste primeiro momento.

Leia também: Mesmo com orientação da Saúde, protocolo de vacinação volta a ser desrespeitado em ponto de apoio

O prefeito interino Hingo Hammes reforçou que o município está muito perto do limite de ampliação rede. “Estamos abrindo mais leitos para garantir os atendimentos, apoiando inclusive a rede privada, mas vamos chegar a um momento em que não haverá mais para onde expandir a rede. Não haverá mais equipamentos, nem insumos, nem médicos. Já estamos, todos, hospitais públicos e privados, operando com estruturas extras”, alerta.

A requisição dos leitos do HCC é semelhante ao que foi feito no Hospital Santa Mônica, em que foram requisitados 51 leitos clínicos para acomodação de pacientes com covid-19. Nestes, o custeio dos leitos será feito com recursos da Câmara Municipal.

Secretário de saúde, Aloísio Barbosa, fez, mais uma vez, um apelo para que as pessoas só saiam de casa se for extremamente necessário. “Peço que todos que puderem fiquem em casa e não esqueçam que precisam adotar todas as medidas de prevenção, com uso de máscaras e de álcool em gel para higienização das mãos”, alertou.

Últimas