MP volta a cobrar informações sobre vacinação de profissionais da saúde no município

20/fev 19:00
Por Luana Motta

Na reunião que aconteceu na última quarta-feira(17), o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) voltaram a cobrar da Secretaria Municipal de Saúde informações sobre a identificação dos profissionais da saúde vacinados contra a covid-19 até o momento. No último dia 07 de fevereiro, o Ministério Público fez uma série de recomendações à SMS, entre elas, que fosse publicado no site da prefeitura informações com a identificação de todos os vacinados. Essas solicitações fazem parte do trabalho de apuração das denúncias de “fura-fila” da vacinação em Petrópolis.

O Ministério Público pede à SMS que informe a interpretação restritiva dos vacinados, ou seja, a princípio, os profissionais de saúde que deveriam receber a vacina deveriam ser apenas aqueles com relação direta com pacientes com suspeita ou contaminados pelo coronavírus. O que, segundo as denúncias que chegaram no Ministério Público, não aconteceu.

As denúncias apontam que pessoas jovens ou profissionais que trabalham nas unidades de saúde, mas que não tem relação direta com os pacientes de covid-19, receberam a dose. Segundo o MP, há postagens nas redes sociais que podem confirmar as denúncias. Nas recomendações, o MP pede o detalhamento de todos os vacinados no Hospital Alcides Carneiro e outras unidades de saúde.

Na reunião, o MP voltou a cobrar da Saúde informações sobre a comprovação do vínculo e a função dos profissionais de saúde vacinados, num prazo de 48h.

A Tribuna questionou a Prefeitura se as informações serão disponibilizadas para a população no site da Prefeitura e sobre o detalhamento das solicitações feitas pelo MP. Em resposta, a Prefeitura informou que “a resposta às recomendações dos MPs, feita no dia 7, foi enviada aos referidos órgãos no dia 12”.

Últimas