Comupa se reúne com prefeito interino pedindo agilidade para a castração de animais no município

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 25/05/2021 10:07
    Por Luana Motta

    Já faz mais de um ano que a Prefeitura adquiriu um veículo para funcionar como um castramóvel para as campanhas municipais de esterilização cirúrgica de cães e gatos. O veículo vem, desde o ano passado, sendo apresentado pela Prefeitura em diversas ocasiões, com várias promessas para o início do seu funcionamento. Representantes do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupa) se reuniram com o prefeito interino Hingo Hammes na semana passada para pedir agilidade para a retomada das ações de castração na cidade.

    No início de maio, o prefeito interino anunciou que seriam realizadas 1,2 mil castrações de cães e gatos até agosto. Essas castrações são remanescentes de um contrato de prestação de serviço com uma empresa terceirizada que vinha realizando os mutirões de castração nas últimas campanhas.

    Os protetores e membros do Comupa pedem a Prefeitura agilidade nas ações para a realização de mais castrações e para colocar em uso o Castramóvel do município. Segundo os protetores, as 1,2 mil castrações não alcançam nem 10% do que a cidade necessita nesse momento para causa animal.

    “Deixei bem claro como protetora atuante, que todos os dias temos pedidos de ajuda de cães abandonados, inclusive cadelas grávidas e no cio na rua. Com a pandemia o número se agravou. Sem uma castração em massa vai ser difícil resolver o problema de tantos cães na rua, tantas cadelas procriando. Não existe nenhuma prioridade na causa animal se não a castração em massa”, disse Andrea Santos, membro do Comupa e responsável pelo Proteção Cão Amor, que cuida de 55 cães e 3 gatos resgatados.

    Promessa de compra de insumos para o castramóvel já dura um ano

    O veículo adquirido pela Prefeitura ficou mais de um ano estacionado no pátio da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias. Chegaram a ser feitas pelo menos oito licitações para a compra de insumos, medicamentos e contratação de equipe médica veterinária para atender no novo castramóvel, mas nenhuma foi efetivamente concluída ou bem-sucedida. De acordo com o Portal da Transparência, a licitação para contratação de equipes, por exemplo, ainda consta em aberto. Outras, tiveram que ser refeitas porque a primeira chamada pública foi desertada.

    No dia 30 de dezembro, o ex-prefeito Bernardo Rossi, pouco antes de deixar o cargo, anunciou que o castramóvel estaria pronto para o funcionamento na segunda quinzena de janeiro deste ano. Mas quando o governo interino assumiu, dois dias após o anúncio, recebeu o veículo sem condições de funcionamento.

    Segundo a governo interino, há dificuldades em concluir os certames para a compra de insumos, mobília e material de escritório, as tentativas de licitação realizadas neste ano também foram desertadas. No próximo dia 1º de junho, será feita mais uma tentativa de compra de insumos para o Castramóvel. Está sendo licitada a compra de 12 medicamentos para uso veterinário no valor de R$ 18 mil.

    A Prefeitura informou à Tribuna que está finalizando um levantamento sobre o restante dos materiais necessários, a fim de verificar a necessidade de nova licitação para aquisição de itens ainda não adquiridos em função da falta de empresas interessadas. O novo veículo tem a capacidade de fazer 10 castrações de cães e gatos por dia.

    Últimas