Com novo mamógrafo parado, fila de espera de exame chega a mais de 500 pacientes

15/jun 19:52
Por Luana Motta

A promessa de um novo mamógrafo no Centro de Saúde vem sendo renovada desde março do ano passado. O equipamento foi entregue, montado, mas até hoje não foi colocado em uso. Como a coluna Les Partisans já mostrou, o equipamento estava parado porque faltava a compra de uma peça que custa cerca de R$ 3 mil. Com uma fila de espera de mais de 500 pessoas, a Secretaria de Saúde disse que está contratando 800 vagas para a realização do exame de mamografia em uma clínica privada.

Na reunião realizada com os Ministérios Públicos Federal e Estadual, a Secretaria de Saúde disse que a contratação será feita com a Clínica Berger, e deve acarretar no fim da fila de espera pelo exame. Segundo a Secretaria de Saúde, já houve 573 pessoas aguardando para fazer o exame na cidade. Em janeiro, de acordo com informações da Saúde fornecidas à Tribuna na época, eram 400 pessoas na fila.

O mamógrafo do Centro de Saúde foi montado em dezembro do ano passado. Na ocasião, pouco antes de deixar o cargo, o ex-prefeito Bernardo Rossi também deixou a promessa de que o equipamento começaria a funcionar na primeira semana de janeiro. O que não aconteceu porque a estrutura necessária, com equipamentos e peças, para que fosse colocado em uso, ainda não estava totalmente concluída.

O novo equipamento tem capacidade para fazer 600 exames por mês, o dobro de exames que o antigo aparelho podia realizar. O município só dispõe de um mamógrafo no Hospital Alcides Carneiro, e vem, com frequência, fazendo contratações em clínicas privadas para suprir a demanda.

Em resposta à Tribuna, a Secretaria de Saúde informou que “vem empregando todos os esforços para adquirir os materiais necessários para colocar em funcionamento o mamógrafo do Centro de Saúde, que apesar de inaugurado na gestão anterior, foi encontrado ainda sem condições de funcionamento. Em relação ao mamógrafo do HAC, o equipamento vem funcionando normalmente”, disse o governo interino.

Sobre a contratação da clínica privada, a Secretaria informou que o número contratado é suficiente para atender os pacientes com indicação do exame na rede pública de Petrópolis e que aguardam o atendimento. E acrescentou que “a atual gestão destaca que desde o início do ano vinha trabalhando para reduzir a demanda que ficou acumulada por conta da pandemia de covid-19”.

Últimas