Volkswagen pode fabricar caminhões elétricos no Rio, e Nissan fará investimentos em fábrica

05/jul 17:19
Por Redação / Tribuna de Petrópolis

O secretário de Desenvolvimento Econômico Vinicius Farah se reuniu, na sexta-feira (2/7) com o diretor de Relações Externas e Governamentais da Nissan do Brasil, Pedro Bentancourt, que reafirmou o compromisso da montadora com o estado do Rio de Janeiro. Desde o início da operação industrial da Nissan no estado, em 2014, foram investidos mais de R$ 3 bilhões no Rio de Janeiro. Para além desses investimentos, em seis anos, a presença da Nissan injetou R$ 1 bilhão na economia fluminense, em termos de remuneração salarial, sem contar o recolhimento de impostos.

“O complexo industrial em Resende emprega a quantidade mais expressiva de funcionários dentro dos locais de operação da Nissan no Brasil. São cerca de 1.700 empregos diretos. Contando empregos indiretos e fornecedores, a folha da Nissan no Rio chega a quase 2 mil famílias. É uma operação de extrema importância para o Estado”, afirmou o secretário.

Na reunião foi alinhada parceria para ampliar a visibilidade do Inova-San, programa de inovação e empreendedorismo realizado pela Nissan junto a universidades e escolas técnicas do Sul Fluminense.

Governo e Volkswagen debatem produção de caminhões elétricos

Representantes do Governo do Rio e Volkswagen Caminhões e Ônibus debateram, nesta quinta-feira (01/7), a produção de caminhões elétricos no Estado. A companhia iniciou, em junho, na fábrica em Resende, no Sul Fluminense, a produção do modelo e-Delivery, o primeiro caminhão elétrico totalmente desenvolvido, concebido e aprovado no Brasil pela montadora. Ao todo, a companhia investiu R$ 150 milhões no desenvolvimento do modelo e em seu complexo produtivo.

“Todo caminhão da Volkswagen que roda no mundo, nasce no Rio de Janeiro. E agora, os primeiros caminhões elétricos são fabricados 100% no Estado”, comemorou o secretário de Desenvolvimento Econômico Vinicius Farah.

O secretário lembrou as metas do governador Claudio Castro de  fazer com que as emissões líquidas de gases que causam o efeito estufa sejam totalmente neutralizadas até o ano de 2045.

Esta semana, a empresa entregou a primeira unidade que vai chegar às ruas. O modelo faz parte de um lote de 100 unidades adquiridas pela Ambev. A cervejaria já assinou intenção de compra de 1.600 unidades até 2025.

No fim do ano passado, a Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou o maior ciclo de investimentos de sua história no Rio de Janeiro, R$ 2 bilhões no período de 2021 a 2025. “Sem dúvida, acertamos em cheio ao estabelecer a fábrica no Rio de Janeiro e inaugurar um novo polo automotivo para o país. E vamos continuar investindo no Estado por muito tempo”, ressaltou o diretor de Relações Governamentais e Institucionais da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Marco Saltini.

Últimas