“Vicenzo Rivetti tinha risco grande de explosão”, diz empresa que fez a gestão condominial

16/set 07:55

Na audiência pública na Câmara de Vereadores sobre moradia popular pegou fogo uma declaração sobre o condomínio Vicenzo Rivetti. Rafael Miranda, da AJR Administração de Condomínios e Empreendimentos Ltda., empresa que fez a consultoria em gestão condominial do conjunto com 776 apartamentos, foi quem deu a fala bombástica da noite: “não tinha condições de ser inaugurado”. E ainda foi mais além falando das vistorias que a empresa fez em 2018, 2019 e 2020: “cheiro de gás e infiltrações foram verificadas e havia risco grande de explosão em todos os blocos”. E ele ainda disse que tudo foi informado ao município e à Caixa de forma documental.

Gravidade

Ficamos surpresos porque, na sequência, os vereadores não foram claros em suas indignações nas redes sociais e abordaram o tema – de extrema gravidade – de forma vaga ainda que o representante da empresa tenha dito e confirmado a questão de risco mesmo depois de alertado que constaria em ata e em vídeo e que a Câmara iria propor medidas cabíveis aos órgãos de justiça.  Diante da gravidade da questão são necessárias medidas urgentes, afinal trata-se de 776 famílias envolvidas em um assunto que não é brincadeira. E que também não pode ser ocultado ainda que sob o argumento de não criar pânico na população condominial porque, afinal, com cheiro de gás confirmado por demais moradores presentes na audiência, insegurança não é provocada pela imprensa, ao revelar o ocorrido, mas pelo dia a dia no local.

Documentação requerida

Considerando que a audiência foi na noite de segunda-feira e hoje já é quinta, é preciso que a gestão passada, que fez a entrega dos apartamentos em 2020 e ainda a Caixa Econômica, responsável pelo empreendimento, se pronunciem e também a empresa construtora do condomínio. A Câmara já anunciou que pediu toda a documentação referente à obra aos envolvidos e também à empresa AJR.  Mas e o que os vereadores pediram agora à atual gestão e que possa garantir que é seguro o local? Uma vistoria da Defesa Civil pelo menos? Se há riscos é preciso uma ação imediata que dê tranquilidade a todos. Como a audiência foi longa – só clicar no link – para facilitar: a fala de Rafael Miranda, que suscitou a discussão, está por volta de 2’53’’.

340 novas moradias

Hoje o governo do Estado faz uma live, às 10h, pelo Instagram, para anunciar um programa habitacional.  Para Petrópolis é esperado que se confirmem 120 casas em um terreno em Benfica e 220 na Mosela, ambos ainda prometidos desde a gestão Pezão.  Vai ser mais um caso de DNA para saber qual político de Petrópolis lucrará com as habitações. Leva vantagem Bernardo Rossi que trata dessas áreas desde 2015.

Guardem este nome e rosto: Claudia Renata, do Movimento Moradia. Sabe tudo de habitação popular e as deficiências na cidade. Sabe mais que todos os vereadores somados e os governos municipal, estadual e federal juntos.

Contagem         

Petrópolis está há 257 dias sem prefeito eleito pelo povo.

De volta                            

Caso nossas queridas autoridades não tenham ainda percebido. Os flanelinhas, com a flexibilização, também estão de volta, principalmente aos domingos e feriados e incomodando bastante o turista desavisado. Os locais preferidos são o entorno do Palácio Quitandinha, Piabanha, Rua do Imperador e Rua da Imperatriz.

Antecedência

Que Natal Imperial, que nada! A Prefeitura já está planejando o Carnaval 2022.  Entidades começam a ser reunidas para estabelecer como serão os dias de folia.

Xiiiii!

Isso pode dar problema retroativo. Parece que a kombi sobe e desce colocada no Taquaril seria fornecida dentro do contrato do transporte escolar. Tá certo que o jeitinho seria para socorrer os moradores na gestão passada, mas… Quem dedurou foi o vereador Ronaldo Ramos que até poderia aprofundar o assunto enquanto tenta levar o transporte coletivo para a comunidade.

Acumulação de cargos

Já passou por algumas comissões projeto de lei que autoriza os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate a endemias a acumularem outro cargo na área de saúde. É uma antiga reivindicação dessas categorias, prática já assegurada para outros trabalhadores da área, como médicos e enfermeiros. Pelo projeto, a acumulação de cargos será possível desde que haja compatibilidade de horários mantida a prioridade para a atividade de agente.

Lição aprendida

Depois das escolas ficarem sem merenda para reabrir – a prefeitura precisou fazer contratações emergenciais, principalmente de carne – a  gestão interina Hingo Hammes aprendeu a lição. Para 2022 já aderiu a 17 atas de registro de preço para aquisição de alimentos para as escolas, valor de mais de R$ 4,2 milhões.

Medalha Imperial

E como falamos aqui, o prefeito interino Hingo Hammes, encontrou um tempinho e instituiu, por decreto, a Medalha Imperial. A honraria vai ser dada a pessoas com trabalhos relevantes para a cidade. E os Partisans querem fazer uma indicação: Wagner Silva, assessor especial de Hingo que tem a (dura) missão de assistir to-das as sessões da Câmara de Vereadores e depois passar todos os assuntos para o interino. Merece.

Uma visão a partir dos jardins da Universidade Católica de Petrópolis pelas lentes de José Renato Lisboa Cordeiro.

Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

Últimas