Utilização de tabaco é fator de risco e agravamento para a Covid-19

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 30/05/2021 14:39
    Por Redação/Tribuna de Petrópolis

    A utilização do tabaco, responsável por mais de 25 mil mortes de brasileiros em 2015 – data do mais recente levantamento sobre o assunto – é mais um fator que acentua a necessidade de conscientização. Nesta segunda-feira (31), Dia Mundial Sem Tabaco, Carla Ismael, oncologista do CTO, alerta para os fatores de risco e agravamento em pacientes fumantes, que além de cânceres de pulmão e em outras partes do corpo, também estão mais suscetíveis ao agravamento da Covid-19 em casos de infecção.

    É que os estudos mostram que os pacientes de pneumonia com Covid-19 progridem para formas mais graves e morrem 14 vezes mais entre pessoas fumantes do que as não fumantes. Uma explicação para isso é que muitos tabagistas já têm desenvolvida a doença pulmonar obstrutiva crônica, onde existe uma enzima que facilita a contaminação pelo vírus das células pulmonares.

    “A pessoa que fuma é mais suscetível à ocorrência da Covid-19 e tem maior risco de vir a óbito. Esse pulmão já é um pulmão doente. Além disso, o tabaco causa diferentes tipos de inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo. É por isso que fumantes têm maior risco de infecções por vírus e também por bactérias e fungos”, explica Carla Ismael.

    Outro ponto que aumenta a possibilidade de contaminação é que o ato de fumar proporciona constante contato dos dedos (e possivelmente de cigarros contaminados) com os lábios, aumentando a possibilidade da transmissão do vírus para a boca. O uso de produtos que envolvem compartilhamento de bocais para inalar a fumaça, como narguilé e dispositivos eletrônicos, por exemplo, também pode facilitar a transmissão do coronavírus entre seus usuários.

    “Comprometa-se a Parar de Fumar Durante a Covid-19”

    A Organização Mundial da Saúde lançou uma campanha mundial para 2021: “Comprometa-se a Parar de Fumar Durante a Covid-19”. Segundo dados da OMS, a pandemia de covid-19 levou milhões de pessoas usuárias de tabaco quererem largar o cigarro.

    Em todo o mundo, cerca de 780 milhões de pessoas dizem querer parar de fumar, mas apenas 30% delas têm acesso às ferramentas necessárias. Cerca de 8 milhões de pessoas morrem por ano por causa do tabagismo. A campanha da OMS ajudará a criar ambientes mais saudáveis que conduzam ao abandono do tabaco, defendendo políticas fortes para a cessação do tabagismo; aumentar o acesso aos serviços de cessação; aumentar a conscientização sobre as táticas da indústria do tabaco e capacitar os usuários de tabaco a tentarem de forma bem-sucedida parar de fumar por meio de iniciativas “Quit & Win”.

    Últimas