Uerj institui o ‘Ano Darcy Ribeiro’ para marcar centenário do nascimento de um dos grandes nomes da educação

14/jan 10:22
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) decidiu prestar homenagem a um dos grandes nomes da educação brasileira, instituindo o Ano Comemorativo Darcy Ribeiro, em 2022 – ele nasceu em Montes Claros (MG), em 26 de outubro de 1922. A medida tem como objetivo reconhecer a importância do sociólogo, antropólogo e professor, responsável pela consolidação de políticas públicas relacionadas ao ensino, bem como pela defesa da democracia e do estado democrático de direito, no ano de centenário do seu nascimento.

“Darcy Ribeiro é um exemplo de resistência às discrepâncias sociais. Lutou contra a ditadura, atuou de forma intelectiva e política, com foco na educação, a favor de um Brasil renovado e com ensino de qualidade, motivando a coletividade em diferentes e infindáveis épocas”, afirmou o reitor Ricardo Lodi.

Darcy se destacou nos processos de criação e consolidação da Universidade de Brasília (UnB), da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), dos Centros Integrados de Educação Pública (CiepsI) na década de 1980, do Museu do Índio e do Parque Indígena do Xingu. Ele também foi responsável por estudos sobre o impacto da civilização sobre grupos indígenas brasileiros no século XX para a Unesco e participou da organização da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (Lei nº 9394/96), entre outros.

Membro imortal da Academia Brasileira de Letras e ex-ministro da Educação e da Casa Civil, Ribeiro foi professor de Etnologia da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, sendo homenageado por diversas universidades pelo mundo.

“O Ano Darcy Ribeiro na Uerj será repleto de atividades relacionadas à educação e cultura, com palestras, seminários, apresentações artísticas, entre outras”, disse Lodi.

Darcy Ribeiro morreu em 17 de fevereiro de 1997, em Brasília, aos 74 anos.

Atividades presenciais suspensas na Uerj

A Uerj suspendeu as atividades presenciais não essenciais até 31 de janeiro. A decisão foi baseada em nota técnica divulgada pela Pró-reitoria de Saúde da Uerj, em função do aumento da infecção por Covid-19 nas últimas semanas, resultante da circulação da variante Ômicron na capital fluminense, que já representa mais de 50% dos casos sequenciados.

A partir de 1º de fevereiro, ficam autorizadas as atividades presenciais, seguindo os devidos protocolos sanitários. O início do período 2021/2 está mantido para o dia 2 de fevereiro, com aulas em modelo híbrido.

Últimas