“Uber dos ônibus” gera economia de até 50%, mas entra na mira da ANTT, que considera ação clandestina

04/maio 10:36
Por Victor Carneiro

A tecnologia tem sido grande aliada dos brasileiros nos mais diversos segmentos. Hoje, quase tudo se resolve através da tela de um celular. Os serviços oriundos da tecnologia também oferecem novas possibilidades e um maior leque de serviços aumentando, assim, a concorrência de mercado.

Após o sucesso de serviços como a Uber e o 99, que fazem o transporte de passageiros por carro, surgiu uma nova plataforma, com proposta semelhante, mas compartilhando viagens intermunicipais de ônibus, fazendo o intermédio de viagens entre grupos de pessoas que querem viajar para um destino e as empresas de fretamento executivo. Para viajar, basta apenas apresentar um documento com foto.

A petropolitana Thamires Kowalski fez uma viagem pela plataforma. O destino foi Belo Horizonte, com saída no Rio de Janeiro. De acordo com Thamires, os principais atrativos são o preço e a facilidade de agendar a viagem pelo aplicativo.

“Fiz uma viagem pela plataforma, e o preço é infinitamente mais barato, principalmente pela facilidade de poder cadastrar amigos pelo meu código e, com isso, ganhar descontos nas viagens. A minha viagem foi grátis, devido ao número de amigos que indiquei. E ainda tenho um valor para usar em outras viagens, já que tive esse ‘benefício’ acumulado”, explicou.

A estudante afirma que na época da viagem, no ano passado, uma passagem para Belo Horizonte custava em torno de R$ 137 saindo de Petrópolis, e, pelo aplicativo, saiu a R$ 60. “Esse valor ainda diminuía, já que eu tinha os descontos. O aplicativo ainda permite que eu escolha em qual tipo de ônibus eu quero viajar, leito, semi-leito ou cama. O valor do ônibus com cama pela plataforma sairia no valor de um ônibus leito ‘tradicional'”.

Leia também: Detro aplicou cinco multas por dia em ônibus e vans credenciados

Thamires também comenta que a empresa disponibiliza brindes para os passageiros e que o aplicativo no “geral é muito bom”. “Se a viagem for cancelada, eles (plataforma) te avisam e fazem o reembolso. Eu também posso cancelar e resgatar o dinheiro ou deixar no aplicativo para uma próxima viagem”.

Ela afirma que o aplicativo é uma opção a mais para as pessoas viajarem “por um preço justo, conforto e segurança”. “Inclusive, gostaria que tivesse mais destinos disponíveis aqui na cidade. Na minha viagem, tive que ir ao Rio para pegar o ônibus da empresa, e mesmo assim, ainda valeu mais à pena do que pegar um ônibus direto daqui”, disse.

ANTT atua contra aplicativo na BR-040

Entre os dias 29 de abril e 2 de maio, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com apoio da Polícia Rodoviária Federal, realizou operação de combate ao que considerou “transporte clandestino de passageiros”, na BR-040, nas proximidades de Areal.

Na operação, 11 veículos foram apreendidos, sendo nove de empresas de turismo flagrados realizando serviço de linha, para serviços de empresa de aplicativo. Um total de 297 passageiros que estavam nestes veículos foi realocado para o transporte regular e tiveram as despesas pagas pelas empresas infratoras.

A ANTT alega que empresas de turismo, que tem autorização para fazer apenas viagens fechadas, com listas de passageiros, serem contratadas por empresa por aplicativo e que, na prática, acabam fazendo linha, vendendo passagens, não está dentro da lei.

Em nota, a ANTT destaca que “é oportuno lembrar que empresas autorizadas para realizar linha embarcam e desembarcam em terminais rodoviários e emitem bilhetes de passagens que são documentos fiscais.” O texto acrescenta, ainda, “que veículos que possuem licença para fazer ‘turismo’ não podem embarcar em terminais rodoviários, não podem emitir bilhetes de passagens e viajam com licença de viagem, com uma lista com os nomes dos passageiros (…) e que empresas que vendem apenas o trecho de ida são consideradas clandestinas, mesmo que possuam lista de passageiros e estão passíveis de apreensão”.

Últimas