Terapia comportamental para pets: projeto ajuda na melhora da saúde emocional

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 05/maio 15:54
    Por Helen Salgado

    Com o retorno das atividades presenciais, os animais sofrem com a ausência de seus tutores. Muitas vezes eles apresentam alterações de comportamento que passam despercebidos pelos donos, mas que, com o tempo, podem se tornar um problema.

    A médica veterinária, Alexandra Kraychete, explica que o estresse é consequência de algo ou um “sentimento” pelo qual esses animais estão passando e que ocorre antes mesmo dessa separação dos tutores. Ela afirma que, agora, com a volta do trabalho e aulas presenciais, esse problema está numa crescente.

    Os fatores que causam medo, ansiedade e estresse são chamados de MAE pelos veterinários. “Eles são prejudiciais a saúde, como um todo. Por exemplo, um animal que está convalescente, que passou por uma cirurgia ou até mesmo idoso, se eles sofrerem com alguma dessas alterações comportamentais, a probabilidade de recuperação deles é mais reduzida em comparação ao animal que não sofre com essas alterações”, explica a médica.

    Sobre o projeto

    Foi com a ideia de ajudar esses animais que Robson Santos e Alexandra Kraychete idealizaram um projeto que visa divulgar, esclarecer e informar sobre alterações comportamentais dos animais. Através das redes sociais, Robson e Alexandra fazem a conscientização dos tutores com posts voltados para o esclarecimento desse problema não muito comentado na sociedade.

    Além disso, na clínica veterinária localizada em Corrêas, é oferecido terapia comportamental para os animais que se encontram em situação de estresse por conta da separação dos seus tutores. Na consulta, é possível avaliar o estado clínico e emocional do paciente de quatro patas, junto com a relação da família, rotina e alterações clínicas atuais e antecedentes. Com todas as informações colhidas, é estabelecido um protocolo e período de tratamento, cujo acompanhamento será realizado via contato telefônico ou WhatsApp, para devidas correções e ajustes. Eles ressaltam que o tempo de tratamento é individual e dependerá também da dedicação dos responsáveis para resolução do problema.

    Sintomas de alteração comportamental

    A médica veterinária esclarece que os animais podem dar muitos sinais de estresse e alguns deles podem ser notados pelos tutores como: lambedura, principalmente nas patas, destruição dos lugares quando estão sozinhos, defecação em locais inapropriados, uivo, choro, arrancamento de pelo e falta ou excesso de grooming, que é o ato de lamber, banhar e pentear, feito por muitos animais, principalmente os gatos.

    Alexandra ressalta que antes de confirmar que esse é um problema comportamental de estresse, ansiedade ou medo, é necessário eliminar todas as outras possíveis causas clínicas. A profissional explica que esse problema pode ser desenvolvido em outros animais, além dos cães e gatos, como os equinos, hamsters e roedores.

    Para se manter atualizado sobre o assunto, basta seguir o Instagram da veterinária: @vetsdaserra.

    Últimas