Solidariedade em Petrópolis: conheça o projeto ‘Paz no prato’

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • Por Aghata Paredes

    Quem ajuda a manter a esperança nos corações dos petropolitanos, especialmente daqueles que mais necessitam neste momento, merece todo o carinho e gratidão da cidade. 

    O ‘Paz no Prato’ é um projeto social, idealizado pela nutricionista Patrícia Cunha, que tem como objetivo divulgar a alimentação 100% vegetal para todas as classes sociais. As atividades do projeto surgiram em 2019, com a organização de uma ceia vegetariana de Natal, organizada para moradores em situação de rua. Ela conta que, desde o início da pandemia, o projeto já vinha atendendo o montante de 650 famílias –  que continuam sendo assistidas e recebendo cestas básicas, além de outros suprimentos.

    Neste momento difícil, marcado pelo desafio de atender às vítimas das chuvas, a equipe do projeto logo se mobilizou para ajudar. Para isso, a parte logística foi organizada no condomínio Castelo Country Club. Lá os voluntários recebem os donativos, que às vezes chegam de outra cidade, separam e registram os itens.

    Foto: Divulgação – Distribuição de alimentos no condomínio Castelo Country Club

    Na cozinha dos voluntários é onde tudo acontece. Visando atender à demanda existente, as refeições estão sendo preparadas em mais de uma residência. Dessa forma, os grupos se reúnem com os alimentos prontos para o porcionamento, envase e distribuição. 

    Foto: Divulgação – alimentos separados para as primeiras refeições do dia

    Atualmente, o ‘Paz no prato’ conta com cerca de 50 voluntários. Para angariar fundos, são promovidos cursos sobre alimentação consciente, vendas de produtos próprios, seguindo a linha sustentável, e também a organização de rifas e campanhas de arrecadação. Recentemente, os voluntários do projeto estavam organizando as suas ações em um endereço fixo na cidade. No entanto,  devido às fortes chuvas do dia 15 de fevereiro, a permanência no local não foi possível.

    A capacidade de produção do projeto é de 150 refeições e cerca de 50 a 100 lanches diários. Sob orientação profissional da nutricionista, a equipe tem o cuidado de preparar as refeições em local higienizado, dentro do limite de tempo apto para entrega e com destino já estabelecido, para que não haja desperdício ou deterioração dos alimentos.

    Segundo a idealizadora do projeto, todos os dias está sendo realizada a distribuição de cestas básicas com alimentos, água, produtos de higiene e limpeza, fraldas e roupas. Além disso, o projeto busca atender a algumas necessidades específicas, como leites especiais e fraldas geriátricas, por exemplo.

    Patrícia comenta que “preparando alimentos sem o uso de ingredientes de origem animal é possível demonstrar o quanto uma refeição pode ser nutritiva, saborosa, prática e ainda econômica.” Ainda segundo ela, “para os integrantes de um projeto vegetariano, o amor já começa na escolha dos ingredientes: tudo é vegetal. Portanto, não existe dor ou sofrimento. Na hora do preparo há muito carinho na escolha dos ingredientes e temperos. Usamos açafrão da terra, gengibre, ervas secas e frescas, temperos que agregam valor nutricional e propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. O preparo é feito com nossas melhores energias, seja para alimentar os que estão trabalhando por nós, seja para alimentar aqueles que choram suas irreparáveis perdas. Tem sido extremamente gratificante, pois nos sentimos úteis e felizes em poder, de alguma forma, distribuir alimentos preparados com todo o nosso carinho, capazes de nutrir o corpo, mas também alimentar a alma.”

    Foto: Divulgação – À esquerda, Patrícia Cunha, nutricionista e idealizadora do projeto.. À direita, 4 das 150 quentinhas preparadas para um dos grupos de resgate: estrogonofe de grão-de-bico, arroz, feijão e batata palha.

    O projeto ainda atende às famílias que não podem se deslocar, oferecendo uma equipe de voluntários que vai até as residências, quando necessário, centros de apoio ou pontos estratégicos, como parceiros locais.

    Segundo a equipe de projeto, o que mais emociona é a disposição das pessoas em ajudar, a gratidão das pessoas que recebem os donativos e a força das pessoas envolvidas: “ninguém fica parado ou tem pressa de ir embora. A gratidão de quem recebe os donativos e a força desse povo que nunca desanima, que tem os olhos marejados de lágrimas, mas na voz podemos perceber uma enorme garra e perseverança.”, comenta Patrícia. 

    Informações para quem deseja ajudar:

    Pix para recebimento de doações: (21)99978-9099
    Contatos: @apaznoprato – Facebook e Instagram
    Coordenadora geral e nutricionista: Patrícia Cunha

    Coordenadora financeira: Claudia Gschwend

    Coordenadora de comunicação: Jurema F. Todorov

    Últimas