Sobe para 85 o número de ocorrências devido a chuva na cidade; sirenes de três comunidades foram acionadas

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 07/jan 17:38
    Por Vinícius Ferreira

    A chuva, que cai de forma intensa sobre a cidade, desde a noite de ontem (6), provocou, segundo a secretaria de Defesa Civil, 85 ocorrências entre deslizamentos de terra, transbordamento de rios e quedas de árvores, desde a última quinta-feira(5). O acumulado de chuva nas últimas 24h é de quase 200mm. A Defesa Civil acionou o sistema de Alarme e Alerta nas comunidades do Dr. Thouzet, Independência e Quitandinha. Até o momento, a Defesa Civil informou que não houve vítimas.

    Na rua Coronel Veiga, o rio Quitandinha, que já havia transbordado no inpicio da manhã voltou a transbordar à tarde. E, até às 17h, a via seguia interditada na altura das Duas Pontes, obrigando os motoristas a desviarem pelo Valparaíso ou pela Saldanha Marinho. Alguns, se arriscaram na rua inundada e muitos ficaram parados, ilhados, como mostram registros postados nas redes sociais.

    O rio Piabanha foi outro que começou a encher de forma preocupante no início da tarde, no Bingen. Na avenida Barão do Rio Branco ele já estava a poucos metros de transbordar. No trecho que fica logo depois da entrada do bairro Carangola, a água passava de forma violenta sobre a represa. E em Correas já estava quase na altura da ponte de acesso à praça de Correas.

    No Itamarati, a queda de uma árvore já havia provocado a interdição da rua Pedro Elmer, durante a manhã. Interdição que seguiu ao longo da tarde na via. Outras vias, também tiveram a passagem de veículos impedida não apenas pela queda de árvores, mas também pelo deslizamento de terra. Foi assim em Pedro do Rio, onde motoristas registraram em vídeo a queda de uma árvore na estrada de acesso à Secretário. Na estrada José de Almeida Amado, no Caxambú, a passagem do ônibus que atende à comunidade do Santa Isabel chegou a ser impedida. No Bingen, foi a rua Cabral e Souza que acabou interditada por um deslizamento.

    Em nota, a Prefeitura informou ainda que devido ao “elevado número de ocorrências”, seria feito um esforço para “garantir a manutenção da segurança e serviços essenciais nesse momento”, e que a “Defesa Civil procedeu com a abertura preventiva dos pontos de apoio das localidades do São Sebastião, João Xavier, Independência, Dr.Thouzet e Quitandinha”. Locais que “estão sendo estruturados para o acolhimento da população, caso seja necessário”.

    No início da tarde de hoje, o município entrou em Estágio Operacional de Alerta. Das ocorrências registradas apenas nesta sexta-feira, a maior parte, segundo a Defesa Civil, é de deslizamentos de terra, que somaram 37 casos nas localidades da Mosela, Coronel Veiga, Samambaia, Independência, Bairro Castrioto, Carangola, Roseiral, Retiro, Estrada da Saudade, Caxambu, Quissamã, Quarteirão Brasileiro, Posse, Cascatinha, Quitandinha, Valparaíso, Fazenda Inglesa, Bonsucesso, Floresta, Alto da Serra, Chácara Flora, Morin, Bingen, Alto da Serra, Centro, Mosela, Duarte da Silveira, Vila Militar e Caxambu. “As equipes também atuam em casos de quedas de árvores, avaliações estruturais e de risco geológico, infiltração e problemas em vias”, chegou a informar o governo municipal.

    “Estamos com todo o efetivo dedicado aos atendimentos. Pedimos que a população fique atenta aos alertas e a qualquer sinal de instabilidade, que entrem em contato com a Defesa Civil e não coloquem suas vidas em risco”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

    Acumulados de chuva

    1º Distrito: 199.25 mm/24h
    2º Distrito: 61.5 mm/24h
    3º Distrito: 56 mm/24h
    4º Distrito: 54.25 mm/24h
    5º Distrito: 74.5 mm/24h

    De acordo com o setor de monitoramento da Defesa Civil, o município está sob a influência da Zona de Convergência do Atlântico Sul – ZCAS. Com isso, a previsão é de chuva moderada a forte para esta sexta-feira (7), se estendendo até este sábado (8). A Defesa Civil mantém o reforço das equipes com agentes operacionais, técnicos, engenheiros, geólogos e assistentes sociais.

    Últimas