Sistema de monitoramento tem novos instrumentos para identificar situação de emergência por chuvas fortes

14/jan 10:11
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

O serviço de monitoramento da Prefeitura, gerenciado pela Secretaria de Defesa Civil, conta com novas ferramentas tecnológicas para o acompanhamento do impacto da chuva na cidade. Os novos sistemas contribuem para o planejamento de ações operacionais de prevenção e resposta rápida em caso de ocorrências causadas pelas fortes chuvas, como as que afetaram a cidade nos últimos dias.

Além das cinco estações geotécnicas que mostram o impacto da infiltração da chuva no solo, a equipe técnica da Defesa Civil também analisa dados da plataforma Urbii, que possibilita identificar localidades com maior acumulado de chuva, com condições para alagamentos, inundações e deslizamentos.

Os novos instrumentos já entraram na rotina de monitoramento da Defesa Civil. As cinco estações geotécnicas, obtidas por meio de acordo de cooperação técnica com o Ministério de Ciências, Tecnologia e Inovação, foram instaladas pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN-BR) no final do ano passado. Os equipamentos já passaram por testes e agora já fornecem dados para a atuação das equipes. As estações geotécnicas funcionam nas localidades do Chácara Flora, Bingen, Quitandinha, São Sebastião e Dr. Thouzet.

“A partir da leitura dos dados fornecidos pelos novos sistemas, podemos identificar áreas com maior possibilidade de registrar ocorrências de deslizamentos ou inundações e proceder com a emissão de avisos e alertas, além do direcionamento das equipes, quando necessário. Essa estrutura oferece importante suporte para que nossas equipes possam atuar de forma preventiva, sempre com o intuito de preservar vidas”, destacou o secretário de Defesa Civil, o Tenente Coronel Gil Kempers.

Além do monitoramento pelas equipes da Defesa Civil, os dados das estações geotécnicas também são captados pelo CEMADEN. “Também fazemos o acompanhamento dos dados através da nossa sala de observação e quando identificamos necessidade, atuamos em conjunto com a Defesa Civil”, disse o geólogo do Cemaden Nacional, Marcio Andrade. A implantação das estações geotécnicas contou ainda com o estudo do solo das localidades onde os equipamentos foram instalados. O trabalho possibilita a realização de análises sobre o volume de umidade do solo, o que permite avaliar o risco para deslizamento nas localidades.

A plataforma Urbii, desenvolvida pela Wiiglo Tecnologia da Informação, é mais uma ferramenta de monitoramento para a obtenção de dados pluviométricos na cidade. Com o novo sistema, que tem acompanhamento 24 horas pelo Centro Integrado de Monitoramento e Operações de Petrópolis (CIMOP), as equipes conseguem identificar as localidades com maior acumulado de chuva e elevados riscos de alagamentos, inundações e deslizamentos. A plataforma coleta e processa informações da chuva, em tempo real, de diversas fontes e sensores, como imagens de radar e câmeras.

Últimas