Sindicatos de professores realizam manifestação contra o retorno das aulas antes da vacinação

27/jan 15:25
Por Janaína do Carmo

O Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro) e o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (Sepe) estão promovendo uma manifestação para o próximo domingo (30). As entidades querem que a volta dos alunos e professores as salas de aulas só aconteça com a vacinação.

O “adesivaço” vai acontecer na Praça Dom Pedro II, no Centro. De acordo com o Sepe, nesta manifestação será feita apenas a adesivação dos veículos. O movimento tem início às 10h e segue até 17h.

Em uma carta enviada pelo Sepe, a entidade ressalta que o retorno das aulas após a vacinação é “em defesa da vida”. Diz um trecho da carta:

“Assim, subscrevem essa carta as entidades representativas, os profissionais da educação, pais e petropolitanos, que, em defesa da vida, desejam que o retorno às atividades presenciais nas unidades escolares somente ocorra após a execução de um plano de vacinação no âmbito do Município de Petrópolis, quando, assim, estiverem presentes as condições sanitárias adequadas, com aval dos órgãos de saúde e com o devido empenho do Poder Público em garantir a segurança e a integridade de todas e todos os envolvidos – de profissionais da educação aos responsáveis, alunos e seus respectivos familiares”.

Leia também: Pais querem plano de retomada seguro e planejam carreata para este sábado

As aulas presenciais estão suspensas desde março de 2020, quando teve início a pandemia do covid-19 na cidade. Desde então, os estudantes das redes pública e particular estão estudando de forma remota. O ano letivo de 2021 está marcado para começar no dia 4de fevereiro, mas até o momento a Prefeitura de Petrópolis não decidiu como os alunos assistirão as aulas.

Em nota, o governo municipal informou que “esta semana acontece uma reunião com os sindicatos de professores, equipes da saúde e da educação, para debater e dar encaminhamento as propostas para a questão da volta às aulas”.

Últimas