Sinalização deficiente coloca em risco motoristas em vários pontos da cidade

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 28/04/2016 09:05

    Apesar de algumas mudanças positivas, ainda há falhas na sinalização de trânsito da cidade. Quem anda pelas ruas do Centro já conhece as vias e sabe o sentido de cada uma delas. No entanto, os turistas que lotam Petrópolis no fim de semana acabam ficando confusos e até entrando em caminhos errados. Há alguns locais que funcionam como “pegadinhas”para os visitantes.Na Praça Dom Pedro, por exemplo, é muito comum ver motoristas de outras cidades saindo da Rua da Imperatriz,em direção à Dezesseis de Março, percorrendo um trecho de 50 metros na contramão. Ofato também se repete na saída da Nilo Peçanha, com direção à Praça Dom Pedro. Quem passa com frequência na região não demora muito para flagrar um carro acessando aponte no sentido contrário. O problema é que além de infringiras leis de trânsito, muitas vezes sem saber, o motorista acaba provocando tumultos e congestionamentos, pois quando ele acessa a contramão todo o fluxo fica parado, uma vez que as ruas de Petrópolis são estreitas e não comportam a frota de mais de 150 mil carros e motos.Um outro problema além da ausência de sinalização adequada é que onde existem placas de trânsito muitas vezes elas estão mal posicionadas ou até mesmo camufladas pela vegetação. No ponto de ônibus do fim da Rua da Imperatriz há uma placa indicando que é proibido acessar a Dezesseis de Março, no entanto, na maior parte do dia há vários coletivos parados no local, oque impossibilita que outros motoristas enxerguem a placa.Jorge Vagner Andriolo, de 34 anos, que trabalha como flanelinha no Centro, disse quena semana passada uma moto entrou na contramão em alta velocidade e acabou colidindo com um carro que estava no sentido certo. “O motociclista saiu da Nilo Peçanha correndo muito, pegou a ponte e ia direto para a Dezesseis (Rua 16 de Março), quando acabou colidindo com um carro que estava passando pela Rua da Imperatriz no sentido Obelisco e não esperava a surpresa na contramão.O sistema de mão inglesa,que inverte o sentido das pistas, está presente em várias pontes da cidade. E em várias delas é possível flagrar motoristas desavisados causando tumulto no sentido contrário.Um dos pontos mais confusos é a ponte que fica em frente ao portão principal do Museu Imperial. Lá, os motoristas, muitas vezes são surpreendidos por carros na contramão.

    Últimas