Sem fiscalização, carrinhos de compras de loja bloqueiam vagas de carga e descarga de mercadorias no Centro

  • 28/01/2020 12:39

    Faltou continuidade

    Carrinhos da Lojas Americanas ocupa as vagas para carga e descarga de mercadorias, como se não houvesse outras lojas no Centro, que dependem desse espaço para receber e enviar suas encomendas. Foto: Divulgação

    Reboques a serviço da CPTrans estão atuando, inclusive nos fins de semana, no Centro e em vários bairros. Um dos locais visitados no último domingo foi a Rua Barão de Teffé, onde dois veículos foram levados pelos reboques. Ontem, já com a cidade em funcionamento pleno, não apareceu nenhum reboque para levar os carrinhos da Lojas Americanas, que ocupavam todas as vagas para carga e descarga de mercadorias, como se fosse ela a única loja do Centro. Também não apareceu ninguém para evitar a ocupação das calçadas, com carrinhos e caixas de mercadorias.

     

    Bons números

    O vizinho São José do Vale do Rio Preto recebeu parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado, às suas contas de 2018. O parecer dos técnicos, aprovado pelos conselheiros, destaca que o município teve superávit financeiro de mais de R$ 12 milhões – arrecadou mais do que gastou – e fez investimentos de 34,12% em saúde e quase 30% em educação. Segundo o prefeito Gilberto Martins Esteves, os controles continuaram em 2019 e serão usados em 2020.

     

    Fato ou boato?

    O Tribunal Superior Eleitoral colocou no ar, em seu portal, uma página para tirar dúvidas dos eleitores. O objetivo é reunir, em um só espaço, todos os conteúdos produzidos, para rabater informações falsa sobre as eleições e a Justiça Eleitoral. O “Fato ou boato?” conta com o apoio de várias instituições parceiras do TSE, que aderiram ao Programa de Enfrentamento à Desinformação, com foco nas eleições 2020.

     

    Ninguém pode dizer, este ano, que se surpreendeu com alguma norma fixada para os desfiles dos blocos carnavalescos de Petrópolis. Nem a Prefeitura, nem os sambistas. Os problemas comuns a todas as entidades carnavalescas estão sendo debatidos em reuniões, com a participação de todos os envolvidos. Foto: Divulgação

     

    Mitos indígenas

    O livro da psicanalista, educadora e escritora petropolitana Maria Inez do Espírito Santo, “Vasos sagrados”, um estudo sobre mitos indígenas brasileiros, já está na Amazon. O livro chega com nova roupagem e, claro, preço ainda mais acessível.

     

    Palestra na Abal

    Luiz Eduardo Basílio fala hoje no Ciclo de Palestras da Academia Brasileira Ambientalista de Letras (Abal), sobre o Projeto Jardim Botânico de Nogueira. Será às 18h, no Palácio Rio Negro.

     

    Mercado de trabalho

    Aparentemente, candidatos e partidos não se intimidam diante da mobilização da Justiça Eleitoral, que promete jogar pesado para impedir o mau uso das redes sociais na campanha eleitoral. Ao contrário. Cabos eleitorais com algum conhecimento sobre as formas de multiplicar – até mesmo com uso de robôs – as notícias favoráveis aos seus candidatos e contra os adversários já estão sendo requisitados, com semanadas que variam de R$ 200 a R$ 2 mil. Estes últimos são os capazes de programar falsos perfis nas redes sociais.

     

    Tarifa abusiva

    Partisans que frequentam a Barra da Tijuca concordam com o prefeito Marcelo Crivella em, pelo menos, uma coisa: a tarifa de pedágio na Linha Amarela é abusiva. Crivella acaba colhendo bons frutos com a oposição que faz à concessionária que administra a estrada municipal. Petropolitanos que são explorados pela cobrança extorsiva da BR-040 bem que gostariam de ver autoridades municipais, estaduais e federais agindo com mais rigor, em busca de solução para o problema.

     

    No PTB

    O PTB volta a procurar um nome para lançar candidato a prefeito, pelo partido. Henrique Manzani, que era o nome com passagem mais fácil em todas as instâncias partidárias, já comunicou que não disputará o cargo.

     

    Novos hábitos

    Cresceu o movimento de veículos, de todos os tamanhos, no caminho conhecido como Batata Frita, que liga o Valparaíso ao Quitandinha. Comerciantes da região dizem que são motoristas fugindo da Rua Coronel Veiga. Como é comum que a principal ligação Quitandinha-Centro esteja sempre engarrafada, os motoristas temem ser apanhados por ali durante um temporal. É que bastam 15 minutos de chuva para o rio transbordar.

    Últimas