Reserva de Guaratiba abriga e preserva floresta de mangue

27/jul 10:22
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

Ecossistema de grande valor ambiental, econômico e social, o manguezal, que ocorre em áreas costeiras e de transição entre ambientes terrestre e marinho, é onde a vida se manifesta das mais diversas formas: serve de alimento e também é um refúgio para a reprodução de diversas espécies de aves migratórias, além de contribuir para a manutenção da diversidade biológica, sendo considerado o berçário da vida marinha. A Reserva Biológica Estadual de Guaratiba, unidade de conservação administrada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), abrange uma expressiva parte de manguezal preservado: com 3.360 hectares de área, 1.601,64 hectares são de floresta de mangue.

O órgão ambiental estadual vem se empenhando em ações que visam ao reflorestamento de mangue nessa unidade de conservação: até o momento a restauração florestal foi realizada com o plantio de 28.315 mudas de mangue. A iniciativa faz parte do Projeto para Recuperação de Áreas Degradadas de Manguezal que é realizada na reserva. O objetivo é reflorestar 11,4 hectares nos próximos quatro anos. Esse projeto corresponde ao atendimento de medida compensatória relacionada às condicionantes da licença de instalação do Porto Sudeste do Brasil.

A Reserva Biológica Estadual de Guaratiba está incluída na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e tem por finalidade preservar importante remanescente de manguezal na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, associado à Baía de Sepetiba. Nas reservas biológicas é permitida a visitação apenas para fins educacionais e pesquisa científica previamente autorizadas.

Últimas