Quase 6 mil pessoas ainda aguardam resultados de exames da covid em Petrópolis

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 29/03/2021 02:00

    A última atualização da prefeitura mostra que 5.754 moradores da cidade ainda aguardam o resultado dos exames para saber se estão com covid. E como são monitoradas essas pessoas? Estão em casa fazendo isolamento?  Não é um problema apenas de Petrópolis, mas é uma das inúmeras falta de controle que se fossem feitas reduziram os casos, mas que são “substituídas” pelo aumento do número de leitos.

    Ainda há esperanças na humanidade

    Um morador do Bingen colocou em grupos nas redes sociais um pedido de informação. Ele queria saber onde podia comprar cesta básica para pagar a prazo. E a galera que viu o anúncio logo entendeu que era um caso de falta de grana no bolso. Muitas, muitas pessoas responderam o anúncio, porém não indicando a venda da cesta básica, mas se oferecendo para ir dar uma força e entregar alimentos a ele.

    Só para os fortes

    De um leitor assíduo: “ficar sabendo dos assuntos de nossa cidade está sendo para quem tem coração forte”. Ele cita vereadores votando uso de tratamento precoce, falta de médicos nos postos de saúde, o feriado meia boca. E ainda compara com um personagem Jô Soares que era um exilado político e toda vez que recebia as notícias do Brasil, desesperado dizia: “vocês não querem que eu volte”. Realmente quem tá fora da cidade não quer mesmo voltar.

    É mole?

    No feriadão meia-boca o que se viu na cidade, além dos distritos cheios, engarrafamentos e tudo o mais foram as filas para comprar chocolates de Páscoa, um item essencial nesta pandemia. E podem anotar: vai continuar até domingo.

    Mazelas

    E os próprios petropolitanos foram às redes recomendar aos turistas: não venham! Pelo menos não agora no recesso sanitário E teve algumas mensagens bem engraçadas listando nossas “mazelas” para afastar os visitantes: internet ruim, quando chove as pessoas andam de guarda-chuva aberto sob a marquise, acaba a luz se chover e os motoristas não dão seta.

    E que tal tomar um café na Pedra do Bonet como nesta foto de Eduardo Macedo?

    Podia ser diferente

    A defensora pública Andrea Carius se manifestou sobre o tempo de espera nos pontos de emergência da cidade – mais de cinco horas nas filas, conforme noticiado pela Tribuna –  por falta de médicos suficientes. Ela destacou que em dezembro foi ajuizada ação pela Defensoria. Na ocasião, a liminar foi indeferida…

    Idade real

    Tá difícil pras socialites de Petrópolis  conseguir deixar ocultas suas idades mediante um suposto calendário de vacinação único do Ministério da Saúde que rola nas redes sociais.  Pela data que elas anunciam que serão vacinadas a gente mata a charada de quantos anos a menos as criaturas têm mentido nas redes, né Renata Fadel?

    Contagem

    Petrópolis está há 88 dias sem prefeito eleito pelo povo.

    Economia de R$ 3 milhões

    É um número muito razoável para passar em branco as economias que a Câmara de Vereadores fez e que está devolvendo ao município. Seria apropriado mostrar onde este dinheiro foi economizado e, retornando aos cofres públicos, onde será aplicado.

    Paciência tá acabando

    Marcelo Lessa começa a pegar pesado e exige que a prefeitura cobre serviço da Força Ambiental, que recolhe o lixo, segundo ele a R$ 3,8 milhões por mês. Também disse que estes dias teve que se segurar, lá no  Bingen, para não gravar um vídeo dentro do buraco, naquele estilo que ele gosta. Segundo ele “é hora de dar uma sacudida pra ver se sai concreto, asfalto…”.

    Bauernfest híbrida

    Com menos de 10% da população vacinada, Petrópolis estaria estudando uma versão híbrida da Bauernfest com parte online como foi ano passado e alguns eventos presenciais. A festa começaria dia 19 de junho. E uma projeção muito, mais muito otimista mostraria pouco mais da metade da população da cidade vacinada até lá.

    Ainda a Praça do Skate

    Antes mesmo de um homem ter sido esfaqueado no local, na sexta, um leitor que mora nas imediações da Praça do Skate há 75 anos mandou mensagem reforçando o abandono da área tomada por usuários de drogas e moradores de rua – que merecem ser acolhidos socialmente, diga-se de passagem.  Mas, o tom desse leitor não é de reclamação. Ele pergunta “quem sabe podemos fazer alguma coisa?”. Sinal de que as autoridades se mexerem terão apoio da comunidade.

    José Renato Lisboa Cordeiro e este clique incrível do farol do Palácio Quitandinha.

    Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

    Últimas