Putin defende envio de tropas russas ao Casaquistão, após China fazer oferta

  • 10/jan 16:00
    Por Dow Jones Newswires / Estadão

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, defendeu a decisão do Kremlin de enviar paraquedistas para ajudar a acabar com protestos no Casaquistão. Segundo ele, isso mostra que seu país não permitirá que forças de fora desestabilizem Estados na região.

    A China também ofereceu forças em apoio ao regime casaque. Durante reunião de líderes de um bloco de segurança liderado por Moscou, Putin disse que a ordem retornava ao Casaquistão, após tropas da Organização do Tratado de Segurança Coletiva ir ao país para fazer a guarda de aeroportos e importantes prédios do governo.

    “Entendo que os eventos no Casaquistão estão longe de ser a primeira ou a última tentativa de interferir em questões domésticas de nossos Estados”, afirmou Putin na reunião.

    A intervenção da aliança, segundo ele, “mostrou que não permitiremos que ninguém fomente uma situação em casa e não permitiremos que as chamadas revoluções coloridas sejam executadas”, uma referência ao tipo de levantes que derrubou governos pró-Rússia na Ucrânia e na Geórgia.

    Últimas