Projeto imuniza mais de 90% dos adolescentes na Ilha de Paquetá

26/jul 12:10
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) promoveu neste domingo (25) mais uma etapa do projeto “PaqueTá Vacinada”, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  Foram vacinados 302 adolescentes de 12 a 17 anos residentes da Ilha de Paquetá com a primeira dose (D1) contra a Covid-19, o que equivale a mais de 90% da população desta faixa etária. É mais uma parte do estudo que analisará os efeitos da vacinação em massa, tais como a segurança do imunizante, a proteção também de pessoas não vacinadas e a eficácia a cada dose recebida.

Em 20 de junho, os adultos a partir de 18 anos de Paquetá, primeiro grupo voluntário do projeto, receberam a D1 da AstraZeneca. Já os adolescentes tomaram o imunizante da Pfizer, único atualmente disponível no país com autorização da Anvisa para aplicação nesse público.

A vacinação ocorreu na unidade de saúde local, a UIS Manoel Arthur Villaboim. Apenas os adolescentes residentes na ilha e que fizeram o teste rápido para a Covid-19 na etapa de inquérito sorológico foram vacinados na ação.

Importante etapa da pesquisa, o inquérito sorológico realizado antes da vacinação da população revelou que, entre os mais de 2,3 mil exames coletados na Ilha de Paquetá, 21% das crianças e adolescentes apresentaram anticorpos contra a Covid-19 por terem sido expostos ao coronavírus. Além disso, antes da primeira dose da vacina ser aplicada nos voluntários do projeto, 40% dos adultos não-vacinados e 90% dos vacinados previamente à pesquisa testaram positivo para a presença desses anticorpos.

Últimas