Profissionais da linha de frente contra covid ajudam famílias em extrema pobreza

14/abr 15:24
Por Davi Assis *

Um grupo de profissionais do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE), atuantes na linha de frente do combate à Covid-19, criou o projeto “Mãos que cuidam”, em parceria com o Projeto Aloha. O intuito é combater a fome e outras necessidades das famílias de pacientes internados ou que faleceram.

“Na semana passada, conseguimos ajudar algumas famílias que estão passando por um momento difícil financeiramente com mantimentos. Por mais que a assistência social os insira nos programas do governo, a ajuda demora muito a chegar até eles. Visto essa situação, estou buscando formar uma rede de ajuda com doações não só de alimentos, mas também com materiais de higiene pessoal e roupas”, contou a enfermeira Carol Camanho, uma das idealizadores do projeto.

“Inúmeras vezes, nós, profissionais, juntávamos dinheiro e ajudávamos apenas uma família. A partir disso, pensei que, ao invés de ajudarmos uma só, poderíamos criar um projeto maior e que pudesse atendesse todas as demandas. Conseguimos também pensar numa forma de não focar somente nos pacientes, mas focar num todo. Já tivemos a situação de um paciente que a mãe morreu no hospital, onde o pai, impossibilitado de trabalhar, ficou sozinho com os sete filhos, em sua grande maioria menores de idade, e nos juntamos, arrecadando doze cestas básicas para a família”, complementou Carol Camanho.

Para dúvidas e informações, basta entrar em contato através do telefone (24) 98825-7422. O ponto de arrecadação está sendo realizado no Terê Frutas, na Rua Paulo Barbosa. Há também uma outra opção de doação: basta acessar o site da DIB e realizar a compra online, indicando o nome de uma das idealizadoras do projeto, Carol Camanho, juntamente ao número de telefone.

* Estagiário sob supervisão.

Últimas