Produtos são encontrados com erro na pesagem em supermercados de Petrópolis

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 23/maio 17:31
    Por Helen Salgado

    Além do aumento nos preços dos alimentos nos mercados, agora o consumidor deve também se preocupar com mais uma questão: a pesagem dos produtos. Não raramente, consumidores relatam serem lesados com propaganda enganosa em diversos mercados da cidade.

    Recentemente recebemos a denúncia de uma consumidora que encontrou uma embalagem de batata palha de 120g pesando 70g na balança do próprio supermercado, localizado em Itaipava. “Quando peguei a embalagem na prateleira, senti que estava bem mais leve do que a da marca concorrente que dizia ter menos quantidade e estava mais pesada. Quando pedi a moça do caixa para pesar, realmente continha muito menos produto que o escrito na embalagem. Isso é um absurdo porque o consumidor está sendo lesado. Além de tudo estar muito caro, ainda somos enganados com as quantidades dos produtos”, desabafa a consumidora.

    Foto: Divulgação

    Segundo Jorge Badia, coordenador do PROCON, essa prática é considerada uma “conduta dolosa” por parte do fornecedor, fabricante e vendedor, e é ilegal podendo gerar detenção de três meses a um ano de prisão, além da multa. O coordenador ressalta que o artigo 19 do Código de Defesa do Consumidor estabelece punições para os estabelecimentos que, de alguma forma, lesem o consumidor em decorrência de diferença entre o peso anunciado e aquele, efetivamente, registrado na balança. O coordenador explica que o PROCON possui convênio, inclusive, com o Ipem e o Inmetro, a fim de, orientar e aferir periodicamente os equipamentos dos estabelecimentos. “Vale lembrar que o artigo 19, prevê que o consumidor pode exigir o cumprimento daquilo que está descrito na embalagem ou propaganda”, conclui.

    Nesta segunda-feira (23), o PROCON esteve no supermercado, localizado em Itaipava, e não constatou nenhuma anormalidade nos produtos informados na denúncia.

    Como proceder nesses casos?

    Badia explica que é importante tirar foto do produto, exigir a nota fiscal, buscar, no próprio estabelecimento, o livro de reclamações do PROCON e anotar a reclamação. Além disso, é necessário procurar o órgão através do telefone 2246 8469 ou comparecer na unidade localizada na Rua Dr Moreira da Fonseca, 33 – ao lado da Câmara de Vereadores.

    Além de efetuar a fiscalização, com eventual aplicação de multa, o PROCON registra a reclamação e fornece a documentação necessária para que o consumidor busque a reparação junto ao judiciário.

    Últimas