PRF registra queda de 17% nos acidentes nas rodovias federais do Rio, durante o réveillon

  • 03/jan 16:31
    Por Redação/ Tribuna de Petrópolis

    A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou queda de 17% nos acidentes de trânsito nas rodovias federais em todo o estado, e queda de 36% no registro de acidentes com maior gravidade. Já o número de autuações totais (infrações de trânsito) aumentaram consideravelmente em 173%.

    As infrações mais importantes foram a da não utilização de cadeirinha, com um aumento de 153%; a não utilização de capacete de segurança, 52%; os de alcoolemia, 167%; ultrapassagem, 192% e a de dirigir não utilizando o cinto de segurança, 75%.

    Segundo a PRF, um dado muito importante foi o número de fiscalizações, sendo de pessoas, um aumento de 198% e de veículos um aumento de 176%, e principalmente os de testes de alcoolemia com aumento de 1673%, percentual bastante expressivo. Já em 2021/2022 foram quatro vítimas fatais no trânsito, em 2020/2021 foram três.

    O superintendente da PRF no Rio, inspetor Romulo Silva, destacou a importância do policial nesses feriados prolongados, exercendo uma fiscalização assídua para evitar acidentes e mortes nas rodovias fluminenses.

    Ao todo, foram detidas 27 pessoas por diversos crimes e foram recuperados 9 veículos provenientes de roubo ou furto.

    De acordo com a PRF, houve um reforço nas fiscalizações, priorizando pontos e horários estratégicos onde há maior incidência de acidentes graves e criminalidade, conforme apontam as estatísticas do órgão. As equipes reforçaram os trechos das BRs 101-Norte (Niterói-Manilha), 101-Sul (Rio-Santos), 116 (Presidente Dutra) e 040 (Washington Luís).

    Operação Égide

    A PRF continua com a operação Égide, iniciada em 1º de outubro de 2021, que faz parte do planejamento institucional na repressão ao crime nas rodovias federais. A operação foi desencadeada após análise e mapeamento dos principais pontos críticos do Rio. As ações têm como principal objetivo o combate ao roubo de cargas, veículos e coletivos e também ao tráfico de drogas e armas nas rodovias federais fluminenses.

    Últimas