Prefeitura confirma que 12 escolas já suspenderam as atividades por causa de casos de covid-19

10/jun 11:45
Por Janaina do Carmo

Desde o reinício das aulas presenciais em maio, 12 escolas particulares já tiveram que suspender as atividades por causa de casos suspeitos ou confirmados de covid-19. Esse número foi divulgado pela Prefeitura de Petrópolis em nota enviada à Tribuna na quarta-feira (9). Até o momento, 61 colégios reabriram as portas na cidade e estão funcionando com o sistema híbrido (online e presencial).

Para o coordenador geral do Sinpro, Frederico Fadini, o número apresentado pela Prefeitura não é alto, mas ele acredita que deva ocorrer mudanças no protocolo exigido pelo governo municipal. “As escolas não são obrigadas a comunicar o sindicato sobre os casos suspeitos ou confirmados, mas achamos que isso deveria acontecer. O desejo do Sinpro é que esses casos também fossem passados para que possamos comunicar aos professores e assim aumentar a segurança sanitária de todos”, ressaltou o sindicalista.

Segundo a Prefeitura, as escolas devem comunicar os casos a Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, que é o órgão que orienta sobre de que forma as instituições de ensino devem proceder com relação a suspensão das aulas em caso suspeito de covid-19 ou de confirmação, tanto com relação a funcionários quanto alunos. A instituição deve entrar em contato imediato com a Vigilância através do telefone 2246-6797.

Ainda de acordo com a Prefeitura, o Plano de Retorno das aulas Presenciais delibera que cada caso deve ser tratado de forma específica. Unidades com notificações de um ou mais suspeitos ou confirmados de pessoas que convivem na mesma sala de aula e não tenham tido contato com outras turmas, as aulas dessa turma devem que ser suspensas por 14 dias. Em caso de ocorrência de um ou mais suspeitos ou confirmados no qual as pessoas sejam de salas diferentes ou tenham tido contato com outras turmas no mesmo turno escolar, as aulas presenciais do turno escolar deverão ser suspensas pelo mesmo período.

O governo municipal autorizou o retorno das aulas presenciais no dia três de maio. Até o momento, apenas escolas particulares estão recebendo os alunos. Para reabrir, a unidade passa por uma vistoria e se cumprir todas as exigências recebe o selo Escola Segura. De acordo com a Prefeitura, a comissão que avalia os colégios já aprovou 70 unidades, dessas 65 já retiraram o selo.

Últimas