Prefeitura aluga mil notebooks em contrato emergencial para as escolas

13/out 02:56

Depois de ter anunciado o projeto Professor Tecnológico que previa a compra de 2,5 mil notebooks – que acabou não indo para frente – a gestão interina Hingo Hammes resolveu alugar mil computadores portáteis para as escolas. Vai ser por seis meses, valor de R$ 1,8 milhão. Mas, gente… com esta verba não dá para comprar notebooks por R$ 1,8 mil cada um?

“Quando gira o mundo…”

Isso tudo foi ainda na gestão de Márcia Palma à frente da Educação e justamente no período em que a pasta sofreu intervenção do Gabinete do prefeito interino.  E inclui, além dos notebooks, a contratação, sem licitação, por R$ 46 milhões, de empresa para terceirizar a contratação de 600 profissionais da Educação. A gente consegue ouvir, ao fundo, convencendo Márcia a assinar a papelada a música de Fábio Junior: “Tudo, tudo pode acontecer… Esqueça então o não e o talvez… Diga sim, essa é a sua vez”.

Incomodado

Falando em contratos da Educação, esse de aluguel de computadores deve ser mais um a causar problemas internos. O Secretário de Educação, José Luiz Lima, ficou digamos, incomodado, com o contrato da Dé Sá, esse de R$ 46 milhões por seis meses para terceirizar 600 funcionários. Já começou a mexer na papelada. Esse dos notebooks vai pelo mesmo caminho. Já gera um desconforto a gestão interina.

Atraso

De fato o Diário Oficial do dia 30 de setembro é emblemático. O atraso em sua publicação de repente nem foi (só) por causa do relatório fiscal (que tá sempre atrasado) do segundo quadrimestre…

Intervenção

Mesmo sem ter ainda mexido na titular da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública, o interino Hingo Hammes tá passando a régua lá do segundo escalão para baixo.  Já dançou um monte de gente.

Rei morto, rei posto

A legião de amigos da ex-secretária de Educação, Márcia Palma, não esperou nem o corpo esfriar e já debandou integralmente para as redes sociais do novo titular da pasta, José Luiz Lima.

O Trono de Fátima está completando hoje 74 anos de fundação. E o bispo Dom Gregório preside missa, às 20h, celebrando a data.

Mão na massa

Moradores e veranistas de Secretário cansaram de esperar pelo poder público. Já arrecadaram o suficiente para construir não apenas uma, mas duas cabines da Guarda Civil.

Contagem         

Petrópolis está há 286 dias sem prefeito eleito pelo povo.

Segundo nome

A nomeação de Calixto Barbosa como coordenador de Segurança Pública veio a calhar, afinal, tava todo aquele mel com o PSD – que iria ocupar a Controladoria. Porém, ele não era a primeira opção. O cargo foi oferecido ao ex-chefe da Guarda Civil, Jeferson Calomeni, que declinou.

Xadrez nas escolas

Um projeto de autoria da senadora Nilda Gondim (MDB-PB) determina a obrigatoriedade do ensino de xadrez nas escolas públicas e privadas. E ela debateu o tema em uma live a convite do professor Ronaldo Elie Yallouz, de Petrópolis, que já foi homenageado pela Câmara de Vereadores de São Paulo e pelo Centro Brasileiro de Esportes da Mente (Cebem) e a Confederação Brasileira de Xadrez Escolar (CBXE) por ter implantado a prática em algumas escolas municipais. Quem sabe com a live nossos gestores não se animem em estender para toda a rede antes mesmo de ser lei federal?

Vaga

Depois que deixou a pasta da Assistência Social – dada ao Republicanos pelo interino Hingo Hammes em composição para as eleições suplementares – Rosane Borsato não ficou na chuva.  Vai coordenar a Comissão de Educação, Assistência Social e Direitos Humanos na Câmara de Vereadores.

Telepolio

Os Canarinhos de Petrópolis participam do evento virtual Telepolio, realizado pelos clubes Rotary de todo o mundo, com o objetivo de atrair investimentos para o combate à paralisia infantil no mundo. Com transmissão pelo YouTube, dia 16, às 11h, este ano o Telepolio contará com um painel técnico de autoridades sanitárias falando sobre a importância das vacinas, além de celebridades e líderes do Rotary e Fundação Rotária.

Segue até domingo, na Casa da Princesa Isabel, a exposição “Coragem e Fé”, que retrata, em peças feitas de papel, a colonização germânica da cidade.  As 40 peças foram produzidas pela família Bortolotti (Valéria, Lorena, Henriqueta e Sérgio). A mostra seria aberta em 2020, mas por conta da pandemia, precisou ser adiada.  E agora temos a oportunidade de acompanhar o trabalho que celebra nossas raízes. No sábado, a mostra funciona das 10h às 19h e, de domingo a sexta-feira, das 10h às 18h.

Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

Últimas