Polícia de SP apreende 363 kg de substância usada para aumentar volume do crack

  • 11/jun 22:16
    Por Redação O Estado de S. Paulo / Estadão

    O Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) da Polícia Civil de São Paulo apreendeu na sexta-feira, 10, um total de 363 quilos de uma substância conhecida como Irganox 1076, antioxidante usado por traficantes para aumentar o volume de crack e cocaína comercializados em pontos de vendas de drogas. De acordo com a polícia, a quantidade – que foi encontrada em um caminhão que saiu da capital paulista com destino a Atibaia, no interior de São Paulo – é a maior apreendida no Estado até então. Dois homens foram presos em flagrante.

    Conforme a Polícia Civil, o veículo suspeito foi abordado em um pedágio de Atibaia, na rodovia Dom Pedro I, e conduzido com seus dois ocupantes até a sede do Denarc.

    Após a identificação da substância, que se encontrava distribuída em vários blocos, os homens foram presos em flagrante por tráfico de drogas e encaminhados ao centro de detenção provisória (CDP) de Jundiaí. As prisões foram apreciadas pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário, sendo em seguida convertidas em prisões preventivas.

    A apreensão dos 363 quilos de Irganox 1076, informou a polícia, ocorreu um dia após 2ª Delegacia de Polícia da Divisão de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) do Denarc localizar um laboratório de refino de cocaína e crack no Jardim Mirna, zona sul da capital paulista.

    No local, foram encontradas três máquinas empacotadoras automáticas de sachês (utilizadas na confecção de papelotes de cocaína), cinco bacias, uma panela e uma balança de precisão. Foram localizados ainda mais de 10 quilos de cocaína e cerca de 2 quilos de Irganox 1076.

    A apreensão fez a Unidade de Inteligência Policial (UIP) do Denarc reforçar o entendimento de que o Irganox 1076 tem sido usado por narcotraficantes para aumentar o volume de drogas na capital paulista. A 4ª Dise do Denarc, então, passou a monitorar um caminhão suspeito.

    As investigações apontaram que ele sairia de uma região específica da zona sul da capital paulista, onde uma célula criminosa atua, com destino a Atibaia. O veículo foi abordado quando passava por um pedágio e a carga de 363 kg de Irganox 1076 foi apreendida.

    Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o motorista alegou que fazia frete com destino a Belo Horizonte (MG) e que desconhecia o proprietário da carga. Já outro homem disse que estava pegando uma carona. De acordo com as investigações da polícia, no entanto, os insumos seriam distribuídos na região de Atibaia e em cidades próximas, além do sul de Minas Gerais.

    Últimas