Pobreza em Petrópolis: famílias dividem o pouco que tem com animais de estimação

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 23/abr 09:19
    Por Helen Salgado

    Passados dois meses da primeira tragédia, percebe-se um esquecimento por parte da população e dos órgãos responsáveis com aqueles que mais precisam. Em Petrópolis milhares de pessoas ficaram desempregadas e perderam a sua principal fonte de renda e, hoje, passam por situação de vulnerabilidade social. Pessoas que não conseguem sustentar as suas famílias com o básico e muito menos os seus animais domésticos.

    Para quem é voluntário e ajuda de perto essas famílias, acompanhar essa realidade é preocupante. Beatriz Nogueira faz parte da ONG Somos Todos Protetores, grupo de proteção animal, ela conta que lida com diversos casos de pobreza no município “Tem uma família no Dias de Oliveira que é extremamente humilde. Eles tem 30 cães em casa e lá só tem uma senhora que recebe salário-mínimo como aposentadoria para mantê-los. Eles carecem de alimentos, de assistência social e sanitária. Os animais deles comem angu e macarrão uma vez ao dia quando tem”, desabafa.

    Segundo ela, com a parceria entre as ONGs Somos Todos Protetores, Dogs Heaven e Carol Pró Patinhas, eles conseguiram castrar e ainda estão castrando os animais. Beatriz conseguiu abastecer a família com ração para uma semana, mas infelizmente, as ajudas pararam e ela não consegue mais auxiliar as famílias pois o custo com ração é de quase R$1.400 por mês.

    Além desses casos, existem muitos outros. Ela conta que na Comunidade do Neylor uma família perdeu o emprego no Morro da Oficina. Sob a tutela deles estão três crianças e dez cães. No Carangola, uma família também perdeu o emprego na Rua Teresa, com eles estão 15 cães e dez gatos.

    Viviane Pereira, também da ONG Somos Todos Protetores conta que lida com dois casos muito tristes, um no Caxambu e outro no Carangola. “São famílias que além de estarem sem ração, estão sem comida. Elas dividem a comida delas, o pouco que elas tem, porque as coisas estão caríssimas, com os animais. Mas elas não querem abandonar, estão todos passando fome!”, fala emocionada.

    A Tribuna questionou a Cobea – Coordenadoria de Bem-Estar Animal, a respeito das doações recebidas pela Prefeitura de Petrópolis e eles informaram que as rações recebidas por doação vêm tendo três destinos: alimentar os animais resgatados pela Cobea que se encontram em lares temporários; assistir as famílias que possuem animais e que foram vítimas das chuvas e assistir famílias em situação de vulnerabilidade que são identificadas pela Cobea durante as ações de vistorias de maus-tratos pela cidade.

    Também foi perguntado sobre os mutirões para arrecadação de ração e a Prefeitura informou que não há nenhum mutirão previsto para acontecer no município.

    Como ajudar?

    Para ajudar com doação de ração ou de cesta básica, basta enviar uma mensagem para o Instagram da ONG Somos Todos Protetores @somostodosprotetores ou para a página no Facebook Somos Todos Protetores.

    Últimas