Pessoas vacinadas voltam ao trabalho na Defensoria Pública do Estado do Rio

04/ago 17:58
Por Redação / Tribuna de Petrópolis

Integrantes dos chamados grupos de risco já vacinados contra a Covid-19 começaram a retornar nesta semana ao trabalho presencial da Defensoria Pública do Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira (2), entrou em vigor a Resolução 28/2021, que estabelece critérios para a retomada, de acordo com a classificação de risco de cada comarca e os limites seguros de distanciamento. Desde o dia 6 de julho do ano passado, a instituição já atende presencialmente casos urgentes, bem como aqueles em situação de extrema vulnerabilidade ou excluídos digitais. No entanto, a Defensoria prioriza o atendimento pelos canais remotos, tais como site, telefone e  aplicativo. Juntos, esses canais foram responsáveis por mais de 25 mil agendamentos apenas em julho.

Casos não urgentes podem ser agendados para atendimento presencial, respeitada a classificação de risco do respectivo município, que pode estar enquadrado em três fases distintas de retomada. Os plantões noturno e diurno já estão funcionando presencialmente para pessoas hipervulneráveis em prédio anexo ao Tribunal de Justiça. O Núcleo de Audiências de Custódia também voltou ao trabalho presencial há cerca de um ano de forma bem sucedida. E os atendimentos nas unidades prisionais voltarão, em breve, a ser realizados presencialmente.

Com o início da pandemia, a Defensoria precisou fazer um esforço conjunto para migrar para o atendimento remoto. Atualmente, são três canais disponíveis: o aplicativo Defensoria RJ, gratuito nas lojas de apps, o telefone 129 e o atendimento online no site defensoria.rj.def.br. Somente em julho, foram feitos 93.181 atendimentos por esses canais; sendo 25.080 agendamentos. Sobre casos urgentes, foram 21.152 encaminhamentos no mês passado.  

“Enfrentamos o desafio de manter o atendimento dos usuários e garantir a segurança do nosso quadro. Para tanto, a Defensoria precisou se reinventar, com medidas como o lançamento do aplicativo e do atendimento via WhatsApp. Estamos em constante aperfeiçoamento, buscando ferramentas que possam agilizar a prestação de serviço, especialmente diante da grande demanda”, disse o defensor público-geral, Rodrigo Pacheco.

Desde outubro, quando foi lançado, o aplicativo Defensoria RJ já registrou quase 279 mil downloads. São quase 200 mil usuários cadastrados no app, que ultrapassa 900 atendimentos por dia.

A Defensoria Pública do Rio é uma das poucas do país com presença em todos os municípios e no ano passado recebeu mais de 2,1 milhões de chamadas apenas pela Central de Relacionamento com o Cidadão. São ações referentes a questões de família, consumo, saúde, educação, defesa criminal e outros temas, que ganharam dimensão ainda maior durante a pandemia. Além do atendimento individual, a Defensoria também atua de forma coletiva, em ações que vão do direito à moradia à defesa do consumidor. 

Últimas