Pesquisa aponta que 1 em cada 5 brasileiros usa o celular enquanto dirige

  • 02/02/2020 11:30

    Uma pesquisa lançada pelo Ministério da Saúde mostra uma realidade perigosa das ruas brasileiras: 1 em cada 5 motoristas usam o celular enquanto estão dirigindo. A divulgação do dado inédito é do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, que também aponta que as pessoas com idade entre 25 e 34 anos (25,1%) são as que mais assumem esse comportamento de risco. 

    A pesquisa feita nas capitais brasileiras mostrou que o maior índice de motoristas usando o celular ao volante foi em Belém, no Pará, com 24,1% dos entrevistados. Mas as outras capitais não ficam muito distante: Rio Branco e Cuiabá com 24,0%, seguido por Vitória 23,7%, Fortaleza 23,5%, Palmas 22,4%, Macapá e São Luís 22,6%. Por outro lado, as capitais com menor uso de celular durante a condução de veículo foram: Salvador 14,2%, Rio de Janeiro 17,2%, São Paulo 17,4% e Manaus 18,0%. Vale lembrar que o uso do aparelho celular enquanto dirige é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Não chega a ser considerado crime de trânsito, contudo, é infração gravíssima, com multa no valor de R$ 293,47 e aplicação de 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

    Leia também: Volks lança o esportivo Polo GTS na faixa de 100 mil reais

    Em Petrópolis, a infração é uma das mais comuns de ser vista nas ruas. Em dezembro, o Detran divulgou dados do anuário do órgão que mostrou que o uso do celular na direção ficou em terceiro na lista de infrações da cidade, onde 2.724 motoristas foram multados. As primeiras posições na lista foram o excesso de velocidade, a principal infração cometida pelos motoristas, com 49.505 notificações. O estacionamento irregular vem em segundo lugar, com 28.204 anotações. 

    Ainda falando de infrações cometidas na Cidade Imperial, o não uso do cinto de segurança também é comum. A equipe da Tribuna flagrou vários motoristas, em diversos pontos da cidade, sem o equipamento de segurança. Questionado, um desses motoristas justificou que “estava fazendo um percusso de curta distância”. Já uma motorista abordada pela equipe justificou que não estava usando o cinto porque “tinha esquecido”. Segundo o anuário do Detran de 2018, foram notificados 1.217 motoristas por esta infração. Segundo o artigo 167 do Código Brasileiro de Trânsito, dirigir sem utilizar o cinto de segurança é considerado infração grave, com multa no valor de R$ 195,23 e mais cinco pontos na CNH. A penalidade pode ficar ainda mais séria se for uma criança sem a utilização do equipamento de segurança, passando a ser considerada infração gravíssima com multa de 293,27 e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. 

    Os acidentes de trânsito são a segunda maior causa de mortes externas no país, segundo o Ministério da Saúde. Em 2017, por exemplo, no Brasil, 35,4 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de trânsito e 182.838 foram internadas. Os gastos com as internações foram de R$260,8 milhões. 

    Últimas