Pescado é opção para as festas de fim de ano

  • 24/12/2021 11:29
    Por Redação/ Tribuna de Petrópolis

    Com a chegada das festas de fim de ano, o pescado é uma boa pedida para ceia e vem atraindo cada vez mais adeptos. A busca por um cardápio mais leve tem sido uma alternativa principalmente para aqueles que não dispensam uma alimentação mais saudável. O consumo de peixe cresce significativamente nesta época e já é tradição na mesa dos fluminenses. O pescado é um alimento versátil, com inúmeras possibilidades de combinação, além de ser nutritivo, saboroso e de fácil digestão é rico em proteínas, vitaminas e minerais que ajudam no fortalecimento do corpo, além de ser rico em ômega 3.

    “A Secretaria de Agricultura, através da Fiperj vem fazendo um belo trabalho ao lado dos pescadores e aguicultores fluminenses promovendo o desenvolvimento sustentável, apoio técnico e acesso às novas tecnologias. A Fundação atua diretamente na articulação de políticas públicas, na regularização da atividade e no desenvolvimento de pesquisas, buscando sempre o fortalecimento do setor”, ressaltou Marcelo Queiroz, Secretário de Agricultura. 

    O pescado no estado, vem da pesca e da aquicultura. Na aquicultura, houve uma forte retomada da atividade neste ano de 2021, após os impactos provocados pela pandemia do coronavírus no ano passado. Houve um crescimento no interesse de investidores de médio e grande porte na atividade aquícola no Estado. Verificou-se também um crescimento dos cultivos em sistema de recirculação, o que traz uma perspectiva nova para a piscicultura no Rio. Com esse aumento dos cultivos em sistemas fechados, podemos ver a atividade se fortalecendo em municípios onde ela sempre foi latente.

    O Estado do Rio produz em média 60 mil toneladas de pescado marinho por ano. Segundo a Fiperj, (Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro) empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, a procura pelos pescados aumentam muito nas festas de fim de ano, dentre os peixes mais procurados nesta época estão: camarões, corvina, tainha, atum, pargo, trilha, merluza, anchova, dourado, sardinha – verdadeira, sardinha – laje, namorado, salmão. Ótimas opções para todos os gostos e bolsos.

    “O peixe é um produto altamente nutritivo para o ser humano. É importante que a gente faça do pescado um consumo constante, e não somente na época das festas. O ideal é que ele esteja na mesa pelo menos duas vezes por semana. Classificado como “carne branca”, o peixe tem um teor de gordura na musculatura muito baixo, gordura, aliás, importante no combate e prevenção de diversas doenças”, explicou André Medeiros, extensionista da Fiperj. 

    O que observar para reconhecer um pescado de qualidade na hora da compra:

    – Odor próprio, característico da espécie

    – Carne firme, consistência elástica, da cor própria da espécie

    – Superfície do corpo limpa, com relativo brilho metálico e reflexos multicores próprios da espécie, sem qualquer pigmentação estranha

    – Olhos claros, vivos, brilhantes, luzentes, convexos, transparentes, ocupando toda a cavidade orbitária

    – Brânquias róseas ou vermelhas, úmidas e brilhantes com odor natural, próprio e suave

    – Abdômen com forma normal, firme, não deixando impressão duradoura à pressão dos dedos

    – Escamas brilhantes, bem aderentes à pele, e nadadeiras apresentando certa resistência aos movimentos provocados

    Últimas