Os idosos

  • 29/04/2016 09:35

    Um grande amigo que teve oportunidade de conviver com nosso pai, por ele consagrado como um “amigo do peito”, fez-nos a seguinte colocação: “já reparei que você tem muito a ver com os idosos em razão de matérias constantes de seus artigos”.

    Em verdade, em resposta àquela respeitosa pessoa, culta, sensível, amável e que também já chegou à condição de idoso, ao mesmo respondemos: é certo, temos uma predileção e um carinho todo especial para com os idosos. 

    E fomos mais além dizendo que desde moços sonhávamos poder ampará-los através de abrigos apropriados onde encontrassem paz, bom tratamento, diversões e tudo o mais que lhes pudesse proporcionar um fim de trajetória sobretudo digno.

    Todavia, a consecução do projeto não foi possível de ser levada a termo naquele ensejo, eis que demandava a assunção de uma série de compromissos e, sobretudo, de responsabilidades impossíveis de serem assumidas à época.

    A iniciativa, entretanto, não podendo ter sido por nós concretizada como pretendíamos, acabou que fomos iluminados no sentido de seguir por outras trilhas com o objetivo de alcançar os fins colimados.

    E, justamente, com a participação de um grupo de abnegados, à frente uma pessoa maravilhosa, idealista e empreendedora, aliada à crença religiosa que professa com tanta dedicação e afinco, amparada que está, temos a certeza, pelas orientações de forças superiores, nos juntamos a esses amigos coesos em busca de ver concretizado o nosso ideal, já não mais somente nosso, mas do grupo inteiro.

    E estamos caminhando para que o projeto se transforme em realidade, embora todos saibamos que o caminho a percorrer seja de difícil percurso.

    Todavia, não esmorecemos eis que estamos imbuídos no sentido da construção de um belo, embora singelo empreendimento com a finalidade de atender a idosos carentes, necessitados de apoio, seja a que crença pertençam, homens e mulheres; enfim o objetivo de todos é proporcionar a essas pessoas bem estar, sobretudo amor e carinho na reta final da caminhada.

    Ao nosso amigo que nos indagou, como explicitado no início destas linhas, não demos a conhecer todos esses detalhes, porém, agora, terá a certeza de que a preferência pelo idoso é lastreada numa forte razão.

    E temos a convicção que poderemos contar com esse amigo fraterno porquanto o verbo ajudar consta do seu dicionário como primordial, o mesmo acontecendo com sua amada esposa. 

    Abraçamos, pois, esta causa com bastante afinco e abnegação inspirados, sem dúvida, também, em outras muitas boas lições recebidas por parte do poeta como aquela que se resume: “dê carinho ao mais idoso, não o trate com desdém, pois você, jovem formoso, vai ficar velho também”.

    Grande verdade!

    Últimas