Obras arquitetônicas marcantes em Petrópolis: Catedral de São Pedro de Alcântara

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • Por Aghata Paredes

    Foto: Marco Oddone 

    O que você mais gosta na arquitetura de Petrópolis? A história da cidade teve início em 1822, quando Dom Pedro I ficou hospedado na Fazenda do Padre Correia, durante uma travessia realizada pelo caminho do ouro, que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. 

    O Imperador D. Pedro I comprou a Fazenda Córrego Seco em 1830, mas foi só em 1843 que Júlio Frederico Koeler iniciou o projeto urbanístico de Petrópolis. O que muitas pessoas não sabem, incluindo boa parte dos petropolitanos, é que o projeto era extremamente moderno e possuía preocupações preservacionistas e ecológicas pouco comuns à época. Incrível, não é?

    Quatorze anos se passaram quando, em 1857, Petrópolis foi elevada à condição de cidade. Em 1981, a APANDE conseguiu que fosse assinado o Decreto 80, o que impediu demolições e construções que pudessem descaracterizar o Centro Histórico. Foi quando a cidade recebeu o título de Cidade Imperial.

    A história e a arquitetura do século XIX e início do século XX, combinadas com o clima ameno e a influência dos imigrantes alemães, italianos, sírio-libaneses e portugueses, tornaram Petrópolis uma das cidades mais importantes no cenário turístico do país. 

    Não dá para falar sobre a arquitetura da Petrópolis sem destacar um dos grandes cartões-postais da cidade, a Catedral São Pedro de Alcântara – uma belíssima construção em estilo neogótico francês, inaugurada em 29 de novembro de 1925.

    Foto: Marco Oddone 

    Você sabia que o projeto inicial pretendia que ela fosse construída em estilo românico? Este projeto, do arquiteto italiano Federico Roncetti, acabou sendo abandonado para dar espaço à Catedral atual, de autoria do engenheiro Francisco Caminhoá. 

    A fachada principal dessa igreja, que acaba sendo a protagonista do Centro Histórico, tem um portal com múltiplas arquivoltas em forma de arcos apontados. Na parte superior da fachada é possível visualizar as estátuas dos quatro evangelistas – São Marcos, São Lucas, São João e São Mateus, além de uma rosácea.

    Foto: Marco Oddone 

    A torre, o elemento mais recente da igreja, datado de 1960, se eleva a 70 metros do solo e contém um carrilhão de cinco sinos de bronze fundidos em Passau (Alemanha), pesando nove toneladas.
    No interior da igreja, os espaços são divididos por arcos apontados tipicamente góticos. Do lado direito da entrada você pode encontrar o Mausoléu Imperial e do lado esquerdo o batistério, com a pia batismal da antiga matriz de Petrópolis. O coro tem um altar-mor em pedra de lioz portuguesa. No deambulatório há uma enorme estátua do patrono da Catedral, São Pedro de Alcântara, esculpida em mármore de carrara. 

    Foto: Marco Oddone 

    Os vitrais são um verdadeiro espetáculo à parte, além de símbolos importantes. Entre eles se destacam: o vitral que representa a Imaculada Conceição; o sepultamento de Jesus; São Pedro de Alcântara e Santa Teresa D´Avila, além do vitral que simboliza a abolição da escravidão. 

    Fotos: Marco Oddone 

    Você tem algum registro na Catedral São Pedro de Alcântara? Poste sua foto no Instagram com a hashtag #tônatbn. As melhores fotos aparecerão no nosso feed aos sábados!

    Últimas