Obra de restauração do Theatro Dom Pedro continua suspensa e sem previsão para ser concluída

08/set 11:16
Por Janaina do Carmo

A restauração do Theatro Dom Pedro segue suspensa e sem previsão de quando será concluída. Problemas na documentação dos projetos junto ao Corpo de Bombeiros e a Caixa Econômica Federal (CEF) são os principais empecilhos para que os trabalhos sejam retomados. Com um investimento de R$ 1.686.063,43 do Ministério do Turismo e com contrapartida de R$ 103.734,18 da Prefeitura de Petrópolis, a obra foi iniciada em 2019 e já foi paralisada por duas vezes.

A primeira paralisação aconteceu em 2020 para ajustes no projeto, como forma de garantir a acessibilidade em todos os espaços do teatro. Os trabalhos só foram retomados em março deste ano, mesmo assim por pouco tempo. Segundo a Prefeitura de Petrópolis, técnicos chegaram a retomar o trabalho de revitalização dos painéis, mas o serviço foi suspenso por dependerem de aprovações da CEF e dos bombeiros.

Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que aguarda a apresentação de documentação complementar solicitada à Prefeitura em agosto deste ano, para que o pedido de reprogramação seja concluído e assim viabilizar o prosseguimento da obra.

Já o Corpo de Bombeiros informou, também por nota, que depende do cumprimento das exigências definidas no Código de Segurança contra Incêndio e Pânico (Coscip) para regularizar a situação do imóvel.

Em nota, a Prefeitura de Petrópolis informou que “toda a documentação exigida para o início da intervenção foi entregue pelo município, que segue buscando junto aos órgãos competentes as autorizações necessárias. Cabe ressaltar que novas exigências foram feitas recentemente, no dia 24 de agosto, pela Caixa Econômica Federal e o município já trabalha para atender as novas demandas”.

A empresa responsável pela reforma é a Studio G, vencedora da licitação realizada em 2019. Em março de 2020, a Prefeitura renovou o contrato com a empresa, uma vez que as obras não foram concluídas. A previsão inicial era que a restauração do teatro ficasse pronta em 180 dias após o início das obras, o que não aconteceu.

O prédio é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural e foi inaugurado em dois de janeiro de 1933 pela família D’Ângelo. Atualmente, o teatro conta com 500 lugares divididos em platéia, balcão e camarotes. O teatro foi construído unindo estilos arquitetônicos e decorativos de art-nouveau e art déco. A decoração interna reúne estilos geométrico, mitológico e futurista, como flores com corolas viradas para baixo.

Últimas