Novo fôlego em Petrópolis com 4,6 mil novos empregos em 12 meses; 8ª posição no Estado

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 04/ago 04:04

    Os números do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Previdência – não foram apenas positivos no mês de julho com 427 novos postos de trabalho registrados na cidade. Petrópolis gerou em seis meses 2.384 empregos. Nos últimos 12 meses foram 4.696 vagas abertas. É um novo fôlego depois da pandemia e duas enchentes deste ano que pararam a cidade.

    Melhor situação após muito tempo

    Petrópolis, com este saldo em 12 meses, é o município na 8ª posição no Estado.  A capital foi a que mais gerou vagas (118.413), seguida de cidades da região metropolitana como Niterói (11.614), Nova Iguaçu (6.691), São Gonçalo (5.616) e Caxias (5.469). Neste ‘miolo’ entram ainda as cidades litorâneas de Araruama (5.163) e Macaé (12.465).

    Eitaaaaa!

    Estão destemidos os candidatos na Baixada Fluminense. A campanha só começa dia 16 de agosto, mas realizaram eventos neste final de semana em comunidades e tascaram em material para a imprensa: “iniciamos a campanha do governador Claudio Castro…”. Talvez a multa por campanha antecipada compense o ganho político.

    Corre, gente!

    Faltando oito dias para o maior evento da cidade e a prefeitura divulgou apenas uma singela arte anunciando: ‘vem aí, a Bauernfest’.

    Taí o exemplo de erva de passarinho e bromélias – estas apesar de não serem paresitas proliferam com velocidade a ponto de matar a árvore – em exemplares na Praça da Liberdade. Se cuidar agora ainda dá para evitar a poda radical…

    E o troco?

    Além de ter que arcar com tarifa a R$ 4,95 o petropolitano está sofrendo com “a falta de troco”.  Povo tá arredondando a passagem para R$ 5 alegando que não têm moedinha de R$ 0,05. Mas é de pouquinho em pouquinho que as galinhas enchem os papos.

    Eita!

    E ontem a prefeitura fez de novo: colocou equipes da Comdep para dar uma guaribada nas ruas e da Assistência Social para falar com os moradores bem na hora da vistoria do Ministério Público na Chácara Flora e Sargento Boening. Nem disfarçaram.

    Fazendo escola

    Vamos deixar a dica para nossos queridos políticos tanto do executivo quando do legislativo. Guapimirim, que é nosso vizinho, viu a ideia de Petrópolis do Cartão Merenda Certa, que vigorou durante a pandemia e copiou com uma adaptação: vai oferecer o cartão aos alunos da rede municipal nas férias, um acordo com a Defensoria Pública.  Talvez Petrópolis possa também copiar essa ideia do vizinho.

    Será?

    Os acionistas da deficitária Comdep que tem dívidas em torno de R$ 250 milhões se reúnem dia 10 para uma assembleia extraordinária. Na pauta, avaliação da demonstração financeira de 2021 entre outros assuntos. Mas foi incluída a revisão da remuneração dos membros dos conselhos administrativo e fiscal. Numa empresa que tem um rombo desse tamanho deve ser para menos, né?

    Xiiiiii! Babou!

    Parece que os vereadores vão acabar ficando a pé – se não inventarem de fazer um contrato emergencial. Porque a licitação para alugar 15 carros para os vereadores foi considerada fracassada, certame realizado no dia 29. Era já a segunda tentativa de licitar o aluguel de carros. Incrível que nenhuma empresa se interesse em fornecer esse serviço para a Câmara. Ou, como dizem nos bastidores: a iniciativa pegou tão mal, mas tão mal  – mesmo porque seriam gastos R$ 1,4 milhão em quatro anos – que a própria mesa diretora nem queria mesmo que a licitação fosse bem sucedida.

    Na sede da Associação Petropolitana de Pacientes Oncológicos já está ficando tudo rosa! Chegaram esta semana rolos de tecido, doação da Ikinha, para a confecção das camisas da campanha Outubro Rosa que este ano vem com o tema “Histórias de inspiram”.

    Colchão ou banheira?

    Você leu aqui nas páginas de Cidade da Tribuna que os primeiros políticos que pediram registro de candidatura ao Tribunal Superior Eleitoral declararam, juntos, ter mais de R$ 5,6 milhões em dinheiro em espécie, em moeda nacional e estrangeira, guardados em casa. Dos 757 candidatos registrados até esta sexta 78 disseram ter quantias em dinheiro vivo. Desses, 28 têm ao menos R$ 50 mil em cédulas. Ué, gente? O que tem de mais? Eles acreditam na segurança pública e estão certos de que jamais terão os cofres ou banheiras assaltados…

    Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

    Últimas