Na Lagoa: espaço no coração do Vale das Videiras promove encontros e vivências dedicadas ao equilíbrio do corpo e da mente

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • Por Aghata Paredes

    Você já enfrentou algum tipo de questionamento e foi convidado a repensar a sua vida ou, quem sabe, se espiritualizar? A petropolitana Cristiana Baptista viveu isso em 2012. De lá para cá, muitas coisas aconteceram. Entre elas, o seu primeiro contato com um movimento mundial, chamado Arte de Viver, que tem como princípio e filosofia aproveitar todo o potencial da vida, e também o seu primeiro retiro de silêncio. Essas experiências renderam belíssimos frutos, alguns visíveis, outros sensíveis apenas ao coração. Um deles pode ser encontrado no Vale das Videiras, o Nalagoa.

    Fotos: Divulgação

    “Foram dias transformadores na minha vida. Vivi uma experiência tão forte que decidi que teria um espaço onde as pessoas pudessem vivenciar o que eu vivenciei naquele retiro.”

    Cristiana Baptista

    O Nalagoa nasceu de um curral abandonado à beira de uma lagoa. Atualmente, o espaço promove encontros e experiências de workshops, retiros, imersões e práticas para o equilíbrio do corpo e da mente. 

    Foto: Divulgação

    Tiana, apelido pelo qual Cristiana é conhecida na região, conta que não sabia qual nome dar ao espaço. Mas o interessante é que quando as pessoas perguntavam por ela, especialmente durante as obras, a resposta era sempre “ela está lá na lagoa.” Foi então que a petropolitana decidiu chamar o espaço de Nalagoa

    Foto: Divulgação

    Sinal do Universo

    Tiana conta que tudo começou meio por acaso, mas numa perfeita sincronicidade com o Universo. “As coisas foram acontecendo meio por acaso, mas com muita fluidez. Trabalhamos no entorno do curral, fazendo a obra e a jardinagem, e bem em frente tinha uma árvore que estava quase morta. Na época, eu tinha comprado um cristal em Piracanga e resolvi jogar dentro da árvore. Em pouco tempo, mais ou menos na época em que a obra ficou pronta, a árvore era outra, tinha renascido. Eu senti como uma confirmação de que estava no caminho certo.”, diz orgulhosa. 

    Foto: Divulgação

    Energia e simplicidade em meio à natureza do Vale das Videiras

    Pergunto à petropolitana o que ela enxerga de mais bonito no espaço que idealizou e construiu. “Não me canso de admirar a natureza em volta. O Vale das Videiras é um lugar muito especial e sinto que as pessoas que chegam aqui percebem a mesma coisa: tem uma energia incrível. Amo a simplicidade e, ao mesmo tempo, o poder de cura deste lugar, é só a gente se entregar à natureza. São belezas sutis, como por exemplo: ver um cavalo no campo pastando, os passarinhos no nosso pomar, o ritmo da natureza, a sabedoria e o conhecimento dos moradores mais antigos, enfim, a vida no campo é muito rica e linda. Outra coisa incrível é a transformação das pessoas dentro dos retiros. Elas chegam na sexta de um jeito e saem no domingo renovadas e com outro astral. Em apenas dois dias elas têm a oportunidade de quebrar barreiras, tomar consciência de suas crenças limitantes e se identificar com outras pessoas do grupo. São trocas lindas e tudo isso é feito de maneira leve e amorosa.”, conta. 

    Foto: Divulgação

    Sobre o dia a dia no espaço, ela conta que adora a preparação para os retiros: arrumar os detalhes, as acomodações, preparar o cardápio e os mimos para a chegada dos participantes. Durante os retiros, o espaço oferece hospedagem, alimentação vegetariana e atividades programadas, dedicadas ao equilíbrio do corpo e da mente. “Procuramos abrir apenas para os retiros, que são realizados com intervalos de pelo menos 15 dias. Assim, temos tempo de descansar, organizar, nos reabastecer energeticamente e deixar toda cura e movimentação de energia que aconteceu se assentar.”, explica Tiana. Fora dos retiros, ela conta que aproveita para fazer as manutenções necessárias. Além disso, algumas vezes por mês, o espaço realiza um aulão de yoga com café da manhã, aberto ao público. 

    Gratidão pela mãe [Regina], a guardiã do Nalagoa 

    Com carinho, ela compartilha a gratidão pela ajuda da mãe, que dedica seu tempo, amor e cuidado ao espaço. “Minha mãe [Regina] é maravilhosa. Ela é a verdadeira guardiã do Nalagoa e me ajuda muito neste cuidar, sem ela não seria o sucesso que é.”, conta Tiana. 

    Foto: Divulgação – Tiana e sua mãe, Regina, a guardiã e 
    a força matriarca do espaço Nalagoa

    Da cozinha é que saem as delícias vegetarianas, preparadas com muito carinho. “Colocamos amor em tudo que fazemos e por isso as pessoas gostam tanto da nossa comida.”, conta Tiana. 

    Foto: Divulgação

    O espaço ainda abriga uma horta orgânica, prestigiada por quem participa dos retiros ou visita o espaço durante os eventos abertos ao público. “Grande parte do que consumimos aqui vem desta horta. É uma benção poder oferecer produtos orgânicos, frescos e colhidos no dia para os participantes. Muitas pessoas que vêm aqui nunca entraram numa horta e ficam maravilhadas com o processo de cultivo específico de cada produto. Já ouviram falar de muitas verduras e legumes, mas não imaginam como se colhe um aipim, gengibre e a cúrcuma, por exemplo. Além da horta, fazemos doces, geleias e pães. Pretendo um dia fazer o nosso livro de receitas.”, conta a petropolitana.

    O Nalagoa fica na Estrada Almirante Paulo Meira, km 18, Vale das Videiras. A agenda de eventos, com os dias e horários das práticas de yoga, meditação e retiros, pode ser conferida no Instagram do espaço.

    Últimas