Mostra Audiovisual de Petrópolis entrega kits com tablets e internet móvel para estimular produção em instituições do RJ

19/mar 17:34
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

O pontapé inicial da 11ª Edição da Mostra Audiovisual de Petrópolis já foi dado. Ao longo dos últimos dias, a equipe que trabalha no evento, percorreu cidades das regiões serrana, dos lagos e metropolitana do Rio de Janeiro, pra distribuir os denominados “Kits Jovem”. O material composto de um Tablet e internet móvel, foi destinado para ONGs, escola e instituições que trabalham com jovens e audiovisual no estado.

As ações tiveram início na última sexta-feira (12), com a entrega de 20 tablets para o Colégio Estadual Dom Pedro II em Petrópolis. O local oferece curso de formação técnica profissionalizante no audiovisual.

No último domingo (14), o Cine Pagu/Engenhoca Filmes realizado no Centro Educacional Comunidade São Jorge no Alto Independência, foi contemplado com quatro kits. O projeto é realizado desde 2019, com 43 crianças de 8 a 14 anos. O Centro Cultural Caminho da Roça, em Secretário, também foi beneficiado. O local conta com projeto de fotografia relacionado a meio ambiente, com crianças e adolescentes, que será ampliado para vídeo através dos quatro kits recebidos. Ainda em Petrópolis, o Ciep Cecília Meirelles em Corrêas, também foi agraciado com kits para o projeto desenvolvido com o público juvenil.

Na capital as ações ocorreram nesta terça-feira (16), no Cineclube Subúrbio em Transe – Centro Cultural CASARTI – Casa do Artista Independente Produções Culturais e Artísticas, que fica na Vila da Penha, focados na produção de vídeo com crianças e adolescentes através de uma proposta inclusiva. Já o Centro de Integração Serra da Misericórdia na Penha, realiza iniciativas com mulheres e questão ambiental, iniciando um trabalho com jovens e vídeo.

Em Teresópolis, a Escola Estadual Euclides da Cunha, que realiza um festival anual e realiza a produção de vídeos com os alunos, recebeu os kits também nesta terça. O cineclube Lumiar em Nova Friburgo, que realiza a atividade junto a uma escola em São Pedro da Serra, também contou com a visita da equipe da 11ª MAP que levou os itens seguindo os protocolos de segurança impostos pela pandemia da Covid-19.

Já em Maricá na Região Metropolitana, a instituição beneficiada é a Escola Municipal Indígena Guarani Kuringue Aranduá, que vem realizando um projeto incentivando o audiovisual junto aos alunos.

“Tal medida se faz importante para difundir cultura, educação e tecnologia. Hoje mais de 46 milhões de brasileiros não possuem acesso à internet, segundo o Centro Regional de Estudos para Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Nós sempre acreditamos no audiovisual como ferramenta para a transformação e com isso, podemos potencializar o conhecimento, ampliar as possibilidades de aprendizagem, estimular o fazer artístico e com isso estimular o segmento para essa geração que está nos espaços escolares e comunidades, mas sem o acesso aos artifícios necessários para se chegar lá”, explica a Coordenadora da 11ª MAP, Regina Bortolini.

A MAP é realizada pelo Ensino Médio Integrado em Audiovisual do Colégio Dom Pedro II, Biruta Educação Audiovisual e a Reprodutora. A programação acontece de forma online e totalmente gratuita, entre os dias 19 e 28 de março, por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. A programação vai contar com mais de 40 atividades, entre oficinas, masterclasses, exibições de filmes nacionais e internacionais, produções juvenis e rodas de debate.

Últimas