Moradores de Secretário arregaçam as mangas e fazem projeto com propostas para segurança e qualidade de vida na região

05/jul 18:08
Por Luana Motta

Moradores de Secretário, em parceria com o Instituto Caminho da Roça (ICR), estão desenvolvendo um projeto que deve proporcionar mais segurança, sustentabilidade e qualidade de vida para quem vive e visita a região. O Projeto Secretário Sustentável prevê uma série de ações envolvendo educação ambiental, segurança, ordenamento urbano e gerenciamento de resíduos sólidos.

Diante de um cenário que acumula muitos problemas nos últimos anos, com o aumento populacional, poucas opções de entretenimento e cultura para os jovens, graves problemas na coleta de lixo, além da desordem urbana, os moradores, cansados, resolveram arregaçar as mangas e transformar a realidade local.

Secretário possui uma belíssima paisagem e sempre foi um recanto para quem busca contato com a natureza. Mas sem fiscalização e com pouca estrutura a oferecer para esse tipo de lazer, o ecoturismo acabou se tornando um problema. Neste ano, durante o verão, a Tribuna noticiou as dificuldades que moradores vinham enfrentando com a desordem urbana na Cachoeira do Poção.

Janice Caetano, presidente do ICR, conta que já o grupo já contabilizou mais de 250 carros de visitantes estacionados no entorno da cachoeira. “A gente está assistindo essa problemática, muita gente indo morar em Secretário por causa da pandemia. No verão a gente tem mais de 250 carros na cachoeira, quase 2 mil pessoas”, relata.

Por meio da educação ambiental os moradores querem preservar as belezas de Secretário. (Fotos: Alaor Filho)

Os moradores estão promovendo uma vaquinha para a construção de duas cabines para a Guarda Civil Municipal e projetos de desenvolvimento local. Eles já começaram um trabalho de alargamento de algumas ruas, para evitar que o maior fluxo de veículos durante o verão prejudique o trânsito. Serão feitas ações de reflorestamento e um curso de formação de agentes de comunicação socioambiental.

“O projeto é bem integrado. Ele vai desde a educação ambiental que eu acho que é fundamental porque sem o conhecimento é impossível que as pessoas cuidem. Eu falo sempre que a gente só cuida daquilo que a gente conhece. O que a gente não conhece a gente não cuida. Então a ideia é que esses 12 guardiões ambientais virem uma referência de conhecimento de tudo que está acontecendo no entorno da parte social e na parte ambiental”, disse Janice.

A vaquinha pretende arrecadar R$250 mil. Em dez dias, já foram arrecadados quase R$ 50 mil. Segundo a presidente do ICR, o projeto foi bem recebido pelo governo municipal que se comprometeu em apoiar com as melhorias necessárias em relação a fiscalização, coleta do lixo e monitoramento da ordem urbana na região. As informações sobre a vaquinha estão disponíveis no site https://www.institutocaminhodaroca.com.br/

Últimas