Menos emplacamentos e exportações

  • 16/02/2020 12:10

    Como já esperado, o primeiro mês do ano de 2020 apresentou uma leve retração no número de emplacamentos de veículos. A Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou nesta semana os dados de produção, emplacamento e exportação da indústria automotiva do primeiro mês de 2020. A retração foi de 3,9% em emplacamentos em janeiro. Segundo a Anfavea, além de já ser um mês fraco devido a férias e outros gastos, o início do ano foi marcado por um problema pontual causado pela adoção das novas placas padrão Mercosul. Como o novo padrão seria adotado a partir de 31 de janeiro, muitos concessionários aguardaram para que o veículo já fosse entregue com as novas placas. 

    Leia também: Pesquisa aponta que 1 em cada 5 brasileiros usa o celular enquanto dirige

    Porém, a associação mantém o otimismo para o ano e aposta em estabilidade nos próximos onze meses. Um dos sinais que justificam o otimismo é a produção de veículos, que subiu 12,2% em comparação a dezembro e atingiu a marca de 191,4 mil unidades. Ainda é um valor baixo ante os 199,1 mil veículos de janeiro de 2019, porém, a diferença é causada pela crise na Argentina. As exportações seguem em baixa com 20.027 unidades enviadas ao exterior. O setor apresentou queda de 20% em relação a janeiro de 2019, que alcançou 25.034. Comparado a dezembro de 2019, com 28.998 veículos exportados, a queda é de 30,9%.

    De acordo com a Anfavea, 49% dos carros e comerciais leves exportados pelo Brasil em 2019 foram para a Argentina, enquanto em 2018 o montante era de 70%. A queda fez com que outros países crescessem em participação. O México, que agora tem um novo acordo com o nosso país, é o destino de 17% dos veículos exportados (ante 9% do ano passado). A Colômbia subiu de 4% para 12%, enquanto Chile e Uruguai representam 8% e 5%, respectivamente. Os demais países no mundo são os 10% restantes da conta.

     

    Últimas