#MaisPetrópolis: O que vai ajudar o Brasil, dar o peixe ou ensinar a pescar?

12/set 08:00
Por Alexandre Gurgel

Já faz tempo que ouço as pessoas reclamando da falta de mão de obra qualificada em Petrópolis. Na verdade, não é um problema somente da Cidade Imperial. De tempos em tempos temos um “apagão profissional” no Brasil.

Em recente estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), metade das fábricas do país admitem ter muita dificuldade para encontrar gente qualificada. Parece inacreditável, afinal atingimos a triste marca de mais de 14 milhões de brasileiros desempregados. Cadê o profissional para a vaga? Problema!

Por aqui, além da indústria, nos setores do comércio e serviços a situação não é muito diferente. A história se repete. O cliente reclama que é mal atendido, o empresário não encontra pessoas preparadas para contratar e os trabalhadores reclamam constantemente da falta de oportunidade na região. O resultado é desastroso e contribui para aumento dos problemas sociais. Violência é um deles. Em casa ou na rua.

Falo frequentemente que não sou contra os programas de proteção social. Contudo eles deveriam estar integrados em projetos de promoção social, as pessoas não podem ficar aprisionadas em bolsas auxílio o resto da vida. Ninguém quer isso.

Façamos um exercício. As instituições empresariais e os empresários conhecem seus associados. Sabem o perfil do profissional ideal. Instituições de capacitação profissional renomadas, como as integrantes do “Sistema S”, são excelentes para preparar profissionais adequados. Os governos deveriam garantir investimento mínimo para preparar as pessoas. Que tal além da “bolsa auxílio”, todos nós pensarmos e viabilizarmos a “bolsa dignidade”? Fica a reflexão.

Contribua com a coluna enviando seu e-mail sugestão para falecom@alexandregurgel.com ou no WhatsApp (24) 99395-1146.

Últimas