Mais quatro itens passam a ser obrigatórios em modelos zero quilômetro

  • 25/01/2020 10:39

    Com base na portaria 518/2015 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), duas resoluções passaram a vigorar em janeiro e visam tornar os modelos zero quilômetro mais seguros. A primeira que, já está valendo, obriga que carros lançados a partir desse ano tragam, de série, controle de estabilidade. Ele se enquadra nos aparatos de segurança ativa – aquela que age para evitar acidentes, e não reduzir os danos. A lei foi criada em 2015, e vale para modelos inéditos e também para os que passarem por grandes mudanças, como troca de geração. O objetivo do sistema é reconduzir o carro à trajetória original em caso de desestabilização, seja ela no eixo traseiro ou dianteiro. Para os veículos que já estão em linha no Brasil, e receberão atualizações menores, como mudança de ano/modelo, ou até mesmo reestilização, a adoção obrigatória do controle de estabilidade está prevista para 2022.

    Obrigatórios: cintos de 3 pontos e encosto de cabeça no banco traseiro.

    Outra determinação é a norma que estabelece que todos os carros vendidos no país tragam o cinto de segurança de três pontos e os apoios de cabeça para todos os ocupantes do veículo. Essa resolução passa a valer a partir do dia 29 de janeiro. Além disto, os carros devem oferecer fixação do tipo Isofix para cadeirinhas. O cinto de três pontos oferece uma proteção maior aos passageiros, quando comparado ao padrão normal subabdominal que alguns carros têm na posição central do banco traseiro, que só tem dois pontos de fixação. Em relação ao encosto da cadeira, a intenção é garantir o maior apoio ao pescoço do passageiro, no caso de colisões traseiras.

    O Contran pretende regulamentar 13 novos equipamentos já presentes em carros mais caros nos próximos anos. A ideia é estudar os sistemas e, em até quatro anos, padronizar suas características técnicas. Entre as novidades estão a luz diurna que tem como função tornar o carro mais visível durante o dia. Ela acenderá ao dar partida no carro, mas mantém faróis e lanternas desligados. Passa a ser obrigatória em 2021 para projetos de novos veículos (inclusos caminhões e ônibus). Após 2023, todos os veículos fabricados e vendidos no país serão obrigados a ter o equipamento. Outros itens que também chegarão são: câmera de ré, alerta de frenagem de emergência, aviso de cintos desatados, alerta de permanência em faixa e frenagem autônoma de emergência.

    Leia também: Scooter HD 300 da Dafra chega às revendedoras em março

    Últimas