Lavine é a primeira criança vacinada contra Covid-19 em Petrópolis

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 17/jan 12:48
    Por Vinícius Ferreira

    Petrópolis deu início, nesta segunda-feira (17), à vacinação contra a Covid-19 de crianças, entre 5 e 11 anos de idade. Lavine Ferreira de Souza, de 11 anos, foi a primeira, de um público estimado em mais de 28 mil crianças do município a receber a dose pediátrica do imunizante da Pfizer.

    Contra todo o negacionismo em torno da vacinação, especialmente da imunização de crianças, ela deu o recado consciente. “Tem que se vacinar, mesmo quem não quer. É preciso, porque se você não se vacinar, esse Covid aí não sai da gente. Não vai sair nunca. Então todo mundo tem que se vacinar sim. Principalmente, as crianças. Esse é o recado, porque tem muita gente aí na UTI, crianças, que também estão com Covid porque não tomou a vacina”, contou Lavine que ainda disse estar feliz de ser a primeira a receber o imunizante. “Eu já queria tomar a vacina há um tempo já”.

    A avó, Marilene Ferreira, disse ter ficado aliviada com a imunização da neta e lembra da necessidade de garantir que todos os públicos recebam a proteção contra o vírus. “Eu tenho meus pais, que são bem idosos e ela está sempre com eles. Então é melhor imunizar para não pegar Covid”, afirma.

    28 mil crianças fazem parte do público-alvo nesta fase da vacinação
    Foto: Vinícius Ferreira

    Logo depois de Lavine, quem também teve a oportunidade de se vacinar foi a Maria Eduarda Rosemberg, de 11 anos, que não escondeu a ansiedade de ser vacinada nesse primeiro dia. “Estava bem ansiosa e feliz por ter esse privilégio. Privilégio porque muita gente não teve como tomar a vacina”, disse a menina que acompanhou nos noticiários a discussão sobre a liberação da vacina para crianças. “Elas (as crianças) devem sim (tomar a vacina) para proteger a vida, porque, a vacina, ela salva vidas”.

    Expectativa de imunizar o público-alvo em um mês

    Segundo a secretaria de Saúde, o governo do Estado enviou 1.650 doses para o município, que tem cerca de 28 mil crianças nesta faixa etária (5 a 11 anos). Nesse primeiro momento, estão recebendo doses da vacina as crianças que possuem algum tipo de comorbidade ou deficiência, em um calendário que acontece entre hoje (17) e sábado (22). Sendo: hoje – crianças com 11 e 10 anos; amanhã (18) crianças de 9 e 8 anos; quarta-feira (19) crianças de 7, 6 e 5 anos; quinta-feira (20) e sexta-feira (21) todo o público-alvo; e sábado o “Dia D” para todo o público.

    De acordo com o secretário de Saúde, Marcus Curvelo, as equipes técnicas organizaram um cronograma para garantir um processo de imunização organizado não apenas para esta etapa inicial, mas também para a etapa que envolve todo o público de quase 28 mil crianças. Segundo o secretário, a expectativa é imunizar (com a primeira dose) todo o grupo em até quatro semanas.

    “O ritmo vai ser acelerado conforme as vacinas forem transferidas do Ministério da Saúde para a nossa cidade. Espero que isso ocorra o mais rápido possível, porque a gente gostaria de iniciar as aulas com pelo menos uma dose de vacina no braço de cada criança petropolitana”, afirmou Curvelo.

    O prefeito Rubens Bomtempo, que acompanhou o primeiro dia de imunização ao lado do secretário de Saúde e da chefe de gabinete Luciane Bomtempo, ressalta que o imunizante é seguro. “Todas as vacinas são muito boas e todas elas foram construídas a partir de uma base científica mundial. E é lamentável que hoje você tenha no Ministério da Saúde uma resistência para fazer esse enfrentamento e sobretudo aceitar que a vacina funciona. É muito triste tudo isso, é um retrocesso que a gente vive no Ministério da Saúde que já teve à frente pessoas que sempre defenderam a saúde pública e ajudaram o país nesta pauta da imunização”, destacou.

    Prefeito Rubens Bomtempo acompanhando o primeiro dia de vacinação de crianças entre 5 e 11 anos
    Foto: Vinícius Ferreira

    Onde se vacinar

    Haverá seis pontos fixos:

    • UBS Quitandinha,
    • UBS Itamarati,
    • UBS Itaipava
    • UBS Posse,
    • Centro de Saúde Coletiva
    • Casa da Educação Visconde de Mauá.

    Também haverá vacinação itinerante em 15 pontos de apoio. Nestes locais, a vacinação será feita em uma data específica, ainda a ser divulgada, e não há a necessidade de agendamento. Importante dizer, também, que nestes casos a imunização será aberta para todo o público-alvo. Confira os locais:

    • Lar Nossa Senhora das Graças (onde vivem 11 crianças),
    • Lar Menino Jesus, onde residem quatro pessoas,
    • Alto da Serra,
    • Alto Independência,
    • Duques,
    • Amazonas,
    • Primeiro de Maio,
    • Duarte da Silveira,
    • Fazenda Inglesa,
    • Rocio,
    • Escola Municipal Fábrica do Saber (entre a Estrada da Saudade e Cascatinha),
    • Retiro,
    • Carangola,
    • Vale do Carangola,
    • Bairro da Glória,
    • Castelo São Manoel,
    • Araras,
    • Vale das Videiras,
    • Manga Larga (em Itaipava),
    • Vale do Cuiabá,
    • Quilombo da Tapera,
    • Pedro do Rio,
    • Vila Rica,
    • Secretário,
    • Brejal.

    Protocolos diferente da vacinação de adultos

    A Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, mobilizou mais de 200 pessoas no trabalho de vacinação das crianças de 5 a 11. Foi feito um treinamento, uma vez que o processo nesta etapa tem muitas diferenças em relação à vacinação de adolescentes e adultos. Será obrigatório um tempo de espera de 20 minutos, no ponto de vacinação – e, por conta disso, não é possível realizar a campanha no modelo drive-thru.

    Além disso, a dose da vacina é menor do que a dos adultos (0,2 ml, ante 0,3 ml) e, por isso, o formato da seringa – que ainda não foi enviada pelo governo federal aos municípios – também é diferente das usadas anteriormente.

    Últimas