Janeiro Branco: APPO chama atenção da população para a importância dos cuidados com a mente

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 09/jan 08:27
    Por Redação/Tribuna de Petrópolis

    O ano começa e junto com ele a campanha Janeiro Branco, que levanta a necessidade de atenção especial para a saúde mental e emocional. Assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, que estimulam a conscientização do câncer de mama e de próstata, a APPO, Associação Petropolitana de Pacientes Oncológicos, vem lembrar que os cuidados com a mente são tão importantes quanto os cuidados com o corpo.

    Janeiro é o mês em que as pessoas estão mais reflexivas. Um momento de fazer planos e reflexões profundas sobre o que passou e o que está por vir e que pode trazer diversas consequências, boas ou ruins. Por isso, a campanha que incentiva a cuidar da saúde mental é realizada no mês de janeiro, desde 2014, quando foi criada por psicólogos de Uberlândia, em Minas Gerais. Um papel em branco, em que as pessoas podem ser inspiradas a escreverem ou reescreverem suas histórias.

    A saúde mental é um ponto chave para as pessoas com diagnóstico de câncer, uma doença complexa e impactante, que pode levar o paciente a desenvolver problemas de ordem emocional, casos depressivos e de ansiedade, entre outros. Por isso, é de extrema importância um acompanhamento multidisciplinar, que envolva uma abordagem holística, tanto para os acometidos pela doença, quanto para familiares e cuidadores.

    Um levantamento feito pelo Instituto Oncoguia, em 2020, trouxe um dado alarmante: a maioria das pessoas em tratamento contra o câncer no Brasil não sabe como lidar com a oscilação de humor. Esta é uma preocupação e um cuidado da APPO, que trabalha com a psico-oncologia, de forma sócio assistencial, para minimizar os impactos causados.

    De acordo com a psicóloga da APPO, Aline Barbosa, o engajamento da Instituição com a campanha é uma maneira de exercer cidadania, por meio de ações que possam promover direitos coletivos, já que a fragilidade emocional, associada a doença, pode acarretar redução na qualidade de vida da pessoa que recebeu o diagnóstico e familiares, além de afetar negativamente a adesão aos tratamentos e intervenções.

    “Nosso trabalho entra neste momento, focado em estratégias de intervenção para fortalecer o psicológico, minimizando a dor e o sofrimento deste acolhido, além de ajudá-lo a aceitar e superar este momento tão difícil, da melhor maneira possível”, explicou Aline. A psicóloga ressalta que a principal estratégia para lidar com todas as mudanças de uma forma mais tranquila é falar da vida.

    A atuação da Psicologia na Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos, contribui com a pessoa diagnosticada com câncer e seus familiares, por meio de acolhimento individual e de familiares, atendimento aos colaboradores, em grupo, ações socioeducativas, rodas de conversa sobre saúde mental, encaminhamentos internos e externos entre outros. Os atendimentos destinados a pacientes oncológicos e familiares são gratuitos e realizados na sede da Associação, com horários agendados, sempre com antecedência, às terças e quintas-feiras. Os agendamentos podem ser feitos por meio do telefone (24) 2242-0956 ou na recepção da APPO, na Rua Visconde da Penha, 72, no Centro de Petrópolis.  

    “Identificar e tratar a depressão também são partes importantes do tratamento do câncer. As pesquisas mostram que um paciente oncológico tem mais chances de desenvolver um quadro depressivo. Mas ser comum, não quer dizer que é normal. Então, sempre converse sobre o que está sentindo e, caso haja sintomas de depressão, procure o médico o mais rápido possível”, alerta Aline.

    Últimas