Infectologista recomenda cautela com os encontros presenciais deste fim do ano

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 24/12/2021 05:00
    Por Jussara Madeira

    Com a chegada das festas de fim de ano e a queda no número de casos de Covid-19, famílias e amigos preparam reencontros para as confraternizações. No entanto, segundo especialistas, ainda é preciso manter cuidados de higiene e garantir a vacinação, principalmente por conta da chegada da variante Omicron e o surto de gripe.

    Em 2020, muitas famílias e amigos celebraram as festas de fim de ano isolados em seus núcleos, e avós e netos, irmãos e primos, pais e filhos compartilharam os votos de boas de festas de forma virtual ou por telefone. Com a queda no número de casos de transmissão, internações e mortes (nesta quarta-feira, dia 22, apenas duas pessoas estavam internadas em leitos clínicos na cidade pelaCovid-19), muitos estão ansiosos em rever e abraçar familiares e amigos.

    No entanto, o momento ainda é de cautela, conforme aponta médica Denise Marangoni, infectologista do Hospital Santa Teresa. “É muito importante que as pessoas entendam que por algum tempo ainda será necessário manter os mesmos cuidados dos últimos quase dois anos. A pandemia do novo coronavírus ensinou muito à população sobre contágio e higiene e estes hábitos devem ser levados para a vida”, explicou.

    Segundo a médica, o uso de máscaras, os cuidados de higiene e a vacinação ainda são fundamentais. “Neste ano, estamos enfrentando um desafio extra que é a chegada da variante Omicron e o surto de Influenza no Estado do Rio de Janeiro. Para evitar contaminações, juntamente com a vacinação, as ferramentas que temos para controle dessas doenças infecciosas continua sendo evitar aglomerações, manter os ambientes arejados, higienizar as mãos e usar máscaras. A consciência do cuidado com a saúde individual e coletiva é importantíssima para evitarmos o crescimento do número de casos tanto da Covid-19, como da Influenza”, concluiu.

    Últimas