Greve atinge quase 10 mil estudantes

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 28/04/2016 09:50

    A greve dos profissionais da rede estadual de educação completa hoje 55 dias e todas as 13 escolas de Petrópolis estão parcialmente paralisadas,mas apenas Colégio Dom Pedro II não está sendo seguindo o calendário, por causa da ocupação, promovida por estudantes. Na cidade há aproximadamente 10 mil alunos matriculados na rede.Nos 92 municípios do Rio de Janeiro há 1.285 escolas estaduais e 750 mil estudantes que correspondem ao ensino fundamental, médio, Educação de Jovens e Adultos e educação profissionalizante.A Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro(Seeduc) tomará algumas medidas em relação ao Saerj,bonificações e escolha do diretor de cada unidade.Há quase dois meses cerca de 80% dos professores que aderiram à greve nas escolas petropolitanas (Ceja Petrópolis,Ciep Santos Dumont, C. E.Dom Pedro II, C. E. Princesa Isabel, C. E. Rui Barbosa,C. E. Cardoso Fontes, E. E.Professor Augusto Meschick,Ciep Cecilia Meireles,C. E. Irma Cecilia Jardim, E.E. de Araras, Ciep Candido Portinari, C. E. Embaixador José Bonifácio e Ciep Gabriela Mistral) reivindicam não apenas questões salariais,mas também a perda de direitos, melhores condições de trabalho e maior qualidade na educação.Os professores que não aderiram à greve continuam ministrando as aulas normalmente nas demais escolas que em presença do alunado. No fim da manhã de ontem, os alunos do 2° ano do ensino médio que saíam da C. E.Cardoso Fontes opinaram sobre a greve. Segundo eles, a paralisação da maior parte das aulas prejudica principalmente os estudantes que prestarão vestibular e farão o Exame Nacional do Ensino Médio(Enem). Eles contaram que as aulas estão prosseguindo em períodos intercalados e o conteúdo das matérias está sendo seguido normalmente pelos professores não grevistas.“Concordamos com os termos,mas achamos que está prejudicando muito principalmente a nós e ao 3° ano, pois queremos fazer o Enem”, contam.O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe Petrópolis) informou que hoje, a partir das 10h, acontece uma assembleia geral na Fundição Progresso, onde será debatido no encontro os rumos da greve. Está previsto para depois da assembleia um ato de protesto no Rio Previdência(Rua da Quitanda,nº 106) para reivindicar a regularização do calendário de pagamento dos servidores aposentados e dos pensionistas.Atualmente, há cerca de 100 mil profissionais na ativa e 60 mil aposentados da educação.A Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro(Seeduc) informou que para atender às reivindicações dos professores grevistas e dos alunos que estão ocupando as unidades escolares tomará algumas medidas. A redução do número de avaliações diagnósticas da rede é uma delas. Segundo a secretaria,o Sistema de Avaliação diagnóstica do Estado do Rio de Janeiro é composto por três Saerjinhos e um Saerj.Essas avaliações retratam onde há as lacunas de aprendizagem do aluno, para que as correções possam ser feitas, assim como a devolutiva aos docentes. Agora,a rede aplicará apenas um Saerjinho e um Saerj.Sobre a escolha do diretor de escola, a Seeduc ressaltou que trabalha junto à Comissão de Educação da Alerj em um projeto de lei que permitirá, mediante critérios técnicos de gestão,que pais, alunos e professores escolham o diretor das unidades escolares. Os critérios serão discutidos em um grupo de trabalho em parceria com a Comissão de Educação da Alerj.A última medida implicano fim do Programa de Bonificação por Resultados, que beneficia os servidores que alcançaram ou superaram as metas estabelecidas

    Últimas