Giro da Tribuna pelo Esporte: Avancini põe Petrópolis no centro internacional do mountain bike

26/jul 15:21
Por Roberto Márcio, especial para a Tribuna de Petrópolis

Na madrugada de domingo, o petropolitano Henrique Avancini foi para a pista em Tóquio levando com ele a esperança de milhões de brasileiros que depositam nele a esperança da inédita medalha no mountain bike. Sua presença nos Jogos Olímpicos 2020 é mais do que uma competição: ele passou a ser um símbolo da Cidade Imperial (do seu lado bem sucedido, claro) no cenário internacional do esporte.

Henrique Avancini seja valorizou Petrópolis. Ele lembra da cidade em suas entrevistas e, mais do que isso, engaja em campanha como a de sortar uma camisa para ajudar um instituo do câncer ou apoiar o Poder Público em trazer grandes eventos de mountain bike para cá. A topografia do município ajuda, naturalmente, mas sua intervenção foi decisiva para trazer uma etapa da Copa Internacional, em setembro e a Copa do Mundo para 2022.

Aos poucos, Avancini se torna o queridinho de todos, o maior ídolo local no esporte nacional. Desde os oito anos no mountain bike, ele próprio reconhece que chegou ao apogeu mundial e era a hora de retribuir a sua cidade tudo aquilo que porporcionou. O seu jeito de ser – simples e amigável – tem cativado uma série de admiradores que torcem como loucos por suas vitórias.  

Petropolitano conclui os treinos visando a maratona olímpica, em Tóquio 2020

O petropolitano Daniel Chaves, um dos três que vão representar o Brasil na maratona nos Jogos Tóquio 2020, disse que teve apoio importante nessa preparação e procura trabalhar a parte psicológica. “No meu momento de descanso, coloco as pernas para cima e ouço músicas de motivação. O mais importante é dar uma descansada também na parte psicológica para que no momento crítico da maratona, quando começa a doer dos pés à cabeça, eu esteja preparado”, explica Daniel. “A minha rotina é muito focada, não temos distração nenhuma no Quênia. Além dos treinamentos, temos massagistas e preparação com treinador especialista em mecânica. A rotina é somente treinamento e descanso, treinamento e descanso, vivendo 100% focado para os Jogos Olímpicos.”

Petropolitano conclui os treinos visando a maratona olímpica, em Tóquio 2020 2

Daniel Chaves  faz parte de um grupo de corredores da Coreia do Sul, que também se prepara para os Jogos. “Espero chegar bem preparado e ficar entre os 10 primeiros da maratona”, planeja o atleta olímpico da ABDA. Os três atletas têm algo em comum, além de disputar maratonas: nasceram no mês de julho. Paulo Roberto completou 42 anos – é o mais velho da equipe olímpica brasileira de atletismo – no dia 8. Já Daniel Chaves comemorou 33 anos no dia 10. Daniel segue nesta segunda-feira para o Japão. “Disputar a maratona olímpica será a realização de um grande sonho e treinar em Iten é muito importante. É a grande meca dos fundistas do Quênia. O Paul Tergat, que era daqui, é uma grande referência. Vou ver como eles treinam, participar da preparação deles”, comentou animado o atleta do Pinheiros (SP).

Esporte olímpico, handebol poderá ter um meeting no mês de novembro

A pandemia afetou muito a prática de várias modalidades esportivas, entre as quais o handebol, que por quase um ano ficou paralisado por questões médicas e sanitárias. Com a relativa abertura das atividades esportivas, a Liga Petrtopolitana de Desportos queria qté promover o Campeonato Municipal da modalidade, mas não há tempo hábil para os clubes montarem times de base para uma disputa oficial. Com isso, decidiu que haverá uma tentativa de organizar no mês de novembro um Meeting, reunindo times avulsos e clubes filiados a entidade. Para a treinadora e professora de educação física, Vanessa Pelli, esta será uma boa oportunidade de, aos poucos, o esporte voltar com força ao desporto municipal e crê que o Meeting vai acontecer dentro da data prevista.  

Defesa: o ponto forte do Serrano para a temporada de 2021?

O Serrano venceu o Verdão de Austin, de Nova Iguaçu no sábado passado por 3 a 0. Com isso, o time completou o terceiro jogo invicto no período de amistosos preparativos para a Copa Rio e o Campeonato Estadual da Série B1. Sem sofrer gols, o sistema defensivo tem se mostrado sólido neste período de preparação. Seria esta posição o lado mais sólido do Leão da Serra? O tempo terá a resposta. Até agora, sua eficiência não pode ser questionada. Em tempo: a Federação de Futebol do Rio alterou o jogo de z\abertura do grupo C, entre Pérolas Negras e Serrano para o dia cinco de agosto, mantido no estádio do Trabalhador, em Resende. A partida da volta, no entanto, manteve a data para 11 do mesmo mês, no estádio Atílio Marotti.

LPD mantém campanha de arrecadação de tênis: é hora de participação

Foi prorrogado até o próximo dia 31 a campanha de arrecadação de tênis. A Liga Petropolitana de Desportos, que encabeça a promoção, montou cinco postos de arrecadação. A entidade se uniu ao projeto “Transformando Vidas Pelo Esporte”, que é um programa da com patrocínio da concessionária Enel Distribuição Rio e da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude do Governo do Estado do Rio de Janeiro. São atendidas 600 crianças e adolescentes dos seis aos 17 anos em 10 comunidades de Petrópolis, com aulas de futebol e futsal. Cada núcleo tem um número máximo de 60 alunos. O projeto “Transformando Vidas Pelo Esporte” estará presente nas quadras do Castelo São Manoel, Alto da Serra, Bataillard, Boa Vista, Independência, Bingen, Fazenda Inglesa, Valparaíso, Carangola e no Centro de Iniciação Esportiva (CIE) do Caxambu.  

Liga Petropolitana define campronatos em arbitrais programados para esta semana

A semana será de definições para a Liga Petropolitana de Desportos. Nesta segunda-feira, às 19h30 na sede da entidade, na rua 16 de março vai acontecer o conselho arbitral do Campeonato Municipal de futebol pós-40 (master), que deve ser o primeiro evento de 2021. No encontro, tabela, regulamento e outros detalhes da competição serão debatidos e resolvidos. No dia seguinte, um novo arbitral vai ser realizado para as categorias de sub-11 e sub-13. Segundo o presidente da LPD, José Neto, outras reuniões serão alinhavadas com os clubes para ver a viabilidade de promover os campeonatos de futebol sub-15 e sub-17, além os de futsal. Aliás, por falar nesta modalidade, os filiados estão divididos em relação as categorias: alguns defendem o sub-10 e sub-12, enquanto outros o sub-11 e sub-13. Caso não haja acordo, de acordo com Neto, as disputas podem não ocorrer neste ano.

Seu filho quer ser jogador de futebol? Saiba o momento certo de colocá-lo em uma escolinha

São inúmeras dúvidas que pairam na cabeça dos pais com relação a quando deve colocar seu filho em uma escolinha esportiva. É sabido que os craques encerram a carreira profissional bem cedo. Então quando começar? O empresário de futebol, Daniel Dantas acredita que não existe uma idade estipulada para se iniciar um treinamento adequado para quem gostaria de se tornar um jogador profissional. “Acredito eu, que a idade ideal para iniciar treinamentos seria a partir do momento que o atleta se sentir no desejo de aperfeiçoar suas habilidades com a bola”, pensa.

Esporte nas comunidades ajuda a superar tempos difíceis impostos pela pandemia

A prefeitura, através da Secretaria de Esportes, Promoção da Saúde, Juventude, Idoso e Lazer (SEPJIL), promoveu no sábado passado o Festival das Comunidades no Atílio Marotti. Foram realizadas atividades diversas como recreação infantil, alongamento e futebol na quadra comunitária do bairro. A programação foi acompanhada por profissionais de educação física e estagiários. Segundo o secretário da SEPJIL, Leandro Kronemberger, a pasta está elaborando um cronograma para que o Festival das Comunidades atenda a todos os distritos de Petrópolis. “No Atílio Marotti a gente conseguiu receber crianças de outros locais, como do Quarteirão Brasileiro, por exemplo. Queremos oferecer o programa em todas as regiões da cidade”, afirmou Berg.

Academias voltam a ser uma das atividades mais afetadas pela pandemia

As academias voltaram para o grupo de atividades mais afetadas pela crise sanitária no Brasil e metade delas estão com dívidas em atraso. A 11ª edição da Pesquisa de Impacto da Pandemia do Coronavírus nas Micro e Pequenas Empresas, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostra que esse segmento chegou, em maio, a um patamar 52% abaixo do que seria normal para o mês. Na edição anterior da pesquisa, realizada em fevereiro, o segmento estava 42% abaixo do normal. Essa piora de cenário que fez com que esses empresários se tornassem os mais aflitos entre todos os setores analisados: 72% alegam que estão com muita dificuldade de manter o negócio.

Últimas